Outono facilita o surgimento de doenças respiratórias; veja dicas de prevenção

Com o início do outono, as temperaturas caem e a umidade do ar diminui. Essas condições climáticas favorecem o surgimento de doenças respiratórias, como gripes, resfriados, rinites e sinusites. Idosos, crianças e pessoas que sofrem de alergias devem ter atenção redobrada durante esse período de temperaturas mais frias. Confira algumas dicas de prevenção.

Deixe o ar circular

Com as temperaturas em queda, é natural que as pessoas permaneçam mais tempo dentro de casa e em outros ambientes fechados. A falta de circulação de ar facilita a proliferação dos vírus. É importante fazer o ar circular, deixando uma fresta da janela aberta em casa ou nos transportes, além de evitar aglomerações.

Mantenha as roupas limpas

Roupas para temperaturas mais frias, como jaquetas e casacos, costumam ficar guardadas dentro do armário durantes as estações mais quentes. Nesse período, elas tendem a acumular mofo, fungos e ácaros. Assim, é importante lavar bem essas peças antes de usar, para evitar possíveis alergias.

Etiqueta respiratória

Para reduzir o risco de contaminação, o Ministério da Saúde recomenda adotar um conjunto de práticas cotidianas, apelidadas de “etiqueta respiratória”. As recomendações são:

  • Lavar as mãos, principalmente antes das refeições.
  • Cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.
  • Não compartilhar itens de uso pessoal, como copos e talheres.

Umidifique o ar

A diminuição da umidade do ar é característica do outono e do inverno em grande parte das regiões do Brasil. O ar mais seco torna a respiração mais difícil, agravando o quadro de quem tem problemas respiratórios crônicos. Para combater esses efeitos, a recomendação é utilizar um nebulizador ou espalhar toalhas molhadas esticadas pela casa.

Manter-se hidratado também é fundamental para atenuar os sintomas causados pelo tempo mais seco. O Ministério da Saúde recomenda que as pessoas evitem praticar exercícios físicos entre as 10 e 16 horas em dias que apresentem baixa umidade do ar.

Vacinação

A vacinação contra o vírus influenza, causador da gripe, é a intervenção mais importante para redução do impacto da doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como o vírus influenza está sempre em mutação, a vacina é reformulada todos os anos, sendo necessário vacinar-se anualmente. Todo ano, o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, na qual grupos prioritários podem receber gratuitamente a vacinação nos postos de saúde.

Tratamento de gripes e resfriados

Em casos de gripes leves, o Ministério da Saúde recomenda a ingestão de água, alimentação leve e repouso, além de medicação anti-gripal com orientação médica. No entanto, se o paciente tiver febre alta persistente, deve procurar um pronto socorro, pois o sintoma pode ser indicativo de uma complicação mais grave.

Para esses casos, o Hospital Presidente conta com médicos plantonistas prontos para prestar atendimento 24 horas por dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *