Câncer colorretal | Descubra Mais Sobre Essa Doença!

O câncer colorretal acometeu quase 40 mil brasileiros em 2018, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Portanto, esse tipo da doença está entre as mais recorrentes, tanto em homens quanto em mulheres. O melhor tratamento sempre começa pelo conhecimento, por isso, nesse artigo abordaremos os principais detalhes a respeito do assunto.

O que é câncer colorretal?

São os tumores malignos que se formam em uma das duas porções do intestino grosso: o cólon ou o reto, atingindo homens e mulheres indistintamente, ou seja, não há fator de risco ligado ao gênero. Em boa parte dos casos, esses tumores se formam a partir de pólipos que, ao longo do tempo, se tornam malignos.

Por isso os exames de rotina são tão importantes: se o médico identificar algum pólipo no intestino do paciente, pode fazer um acompanhamento mais minucioso e retirá-lo antes de se transformar em câncer.

Sintomas

Um dos principais sintomas do câncer colorretal é o sangramento durante a evacuação, por isso, é preciso ficar muito atento a esse sinal. Mas além dele, existem outros indicativos, como anemia sem causa aparente, continuar com vontade de evacuar mesmo logo depois de ter ido ao banheiro, desconforto abdominal frequente e mesmo sem comer nada diferente, emagrecimento repentino e sem motivo, mudança na coloração e consistência das fezes.

Inclusive, existem até alguns sintomas que podem passar despercebidos, como alterações no trânsito intestinal, ou seja, ficar com o intestino mais solto ou mais preso do que o normal por um período de tempo prolongado.

Fatores de risco

Alguns hábitos podem aumentar as chances de uma pessoa desenvolver esse tipo de câncer. Entre eles, o consumo excessivo de carnes vermelhas e outros alimentos muito gordurosos, carnes processadas, tabagismo e alcoolismo. Indivíduos com mais de 50 anos e obesos também são mais propensos a sofrerem com a doença, assim como aqueles que possuem casos na família, em parentes de primeiro e segundo graus.

Portanto, a melhor forma de se prevenir realmente é a adoção de uma rotina mais saudável, com alimentação equilibrada, atividades físicas regulares, sem fumar e nem beber em excesso. E, é claro, manter o check-up sempre em dia.

Tratamento

Os tratamentos de combate ao câncer evoluíram muito e também variam de acordo com o caso. Por exemplo: se o tumor for descoberto em estágio inicial, ele pode ser apenas retirado por colonoscopia, laparoscopia ou cirurgia convencional. Quando o tumor se forma na região do reto, é possível que seja necessário se submeter a algumas sessões de radioterapia e/ou quimioterapia antes de operar.

E claro, tanto a radioterapia quanto a quimioterapia também podem ser prescritas pelo médico depois da retirada do tumor, para garantir que qualquer resquício da doença seja eliminado.

Quanto mais precoce for o diagnóstico, melhores são as chances de reverter o quadro com procedimentos menos invasivos. Por isso, ao perceber qualquer um dos sintomas que foram relatados acima ou outras alterações intestinais, não deixe de procurar imediatamente um médico para realizar todos os exames necessários para descartar a doença ou tratá-la rapidamente.

Aproveite e leia também: Como escolher o protetor solar ideal para sua pele?