Novembro Azul: Contra o Preconceito e A Favor da Saúde do Homem

O mês dedicado à conscientização sobre a importância dos homens cuidarem da saúde está chegando, trazendo consigo o alerta azul! E o Hospital Presidente não poderia deixar de apoiar esta campanha, que já entrou para o calendário das várias entidades de saúde preocupadas com o cuidado da saúde masculina, no Brasil e no mundo: o Novembro Azul.

A preocupação se justifica. Números da Sociedade Brasileira de Urologia revelam que, apenas em 2019, devem surgir mais de 60 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. É o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens no país, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, superado apenas pelo câncer de pele do tipo não melanoma.

A iniciativa de dedicar um mês para chamar atenção sobre a necessidade de os homens realizarem exame de próstata como prevenção ao câncer surgiu na Austrália, em 2003, com o nome original Movember, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemoradoem 17 de novembro.

No Brasil, o movimento ganhou força a partir de 2014, com a iluminação de pontos turísticos, como Cristo Redentor, Congresso Nacional, Teatro Amazonas, Monumento às Bandeiras, e a adesão de atletas em estádios de futebol, corridas de rua, autódromos e outras formas de intervenção em espaços públicos.

O objetivo da campanha é quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque retal.

O Câncer de Próstata

A próstata é uma glândula masculina, localizada logo abaixo da bexiga e à frente do reto, na parte final do intestino grosso. Ela desempenha papel importante na reprodução, ao produzir um líquido que nutre e protege os espermatozoides, no sêmen. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, ela não é responsável pela ereção nem pelo orgasmo.

Segundo o Ministério da Saúde, nove em cada 10 casos de câncer de próstata no Brasil ocorrem a partir dos 55 anos, e por isso ele também é conhecido como um câncer da terceira idade.

Alguns tipos de câncer de próstata podem ser bastante agressivos, espalhando-se para outros órgãos. Mas a maioria tem crescimento lento (cerca de 1cm3 em 15 anos) e, por isso, não apresenta sintomas, ou apresenta apenas sintomas correspondentes ao crescimento benigno da próstata, como:

  • dificuldade de urinar
  • diminuição do jato de urina
  • necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite
  • presença de sangue na urina

Daí a importância do exame de toque retal, para verificar o possível aumento da próstata, e, se necessário, realizar exames complementares, para definir o diagnóstico.

Diagnóstico Precoce Ajuda A Salvar Vidas

A Sociedade Brasileira de Urologia afirma que as chances de cura do câncer de próstata são de 90% quando a doença é diagnosticada na fase inicial, aumentando as chances de tratamento. Este diagnóstico é realizado com exames clínicos laboratoriais em homens com sinais e sintomas sugestivos da doença, ou com exames periódicos nos homens sem sinais ou sintomas, mas que pertencem a grupos de risco.

Fazem parte dos grupos de risco:

  • homens com mais de 50 anos
  • pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos
  • obesidade
  • exposição a aminas aromáticas (comuns nas indústrias química, mecânica e de transformação de alumínio), arsênio (presente em conservantes de madeira e agrotóxicos), produtos derivados do petróleo, etc.

O diagnóstico geralmente é feito com a combinação de dois exames:

  • toque retal: onde o médico urologista consegue sentir a próstata e perceber se ela está com o tamanho aumentado e há nódulos ou tecidos endurecidos na região, o que é característico em tumores iniciais.
  • dosagem de PSA: exame de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico de câncer de próstata.

Embora cercado de preconceitos culturais, o exame de toque retal é rápido, indolor e fundamental para o diagnóstico do câncer de próstata, já que em alguns homens o nível de PSA pode permanecer baixo, mesmo com a presença de tumores malignos e até bastante agressivos, segundo o Instituto Nacional do Câncer.

O diagnóstico só é conclusivo com a biópsia da próstata, procedimento onde são retiradas amostras de tecido da glândula para análise. O procedimento geralmente é realizado no próprio consultório do urologista, com o paciente acordado e apenas com anestesia local.

Outros exames complementares e importantes para o diagnóstico incluem a ultrassonografia transretal, a medição do jato de urina, exame de urina em laboratório e, finalmente, a biópsia de tecido da próstata. O Hospital Presidente tem a melhor equipe de médicos urologistas da região e está capacitado para realizar os exames necessários ao diagnóstico seguro desta e de outras doenças que afetam a saúde dos homens. Agende uma consulta por e-mail: [email protected] ou telefone para 2261-6611 – Ramal 1085, com Camila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *