14 de Novembro: Dia Mundial do Diabetes

palavra em foco

O que fazer para evitar este mal e proteger a sua família

O diabetes é uma doença silenciosa, com estatísticas impressionantes: atinge 1 em cada 11 pessoas no mundo e mais de 14 milhões de pessoas no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes.  Esse número só cresce: estima-se que 642 milhões de pessoas no mundo estarão com diabetes até 2040. E quase a metade desconhece o diagnóstico. 

Por isso, ganha importância cada vez maior a campanha de alerta e prevenção do Dia Mundial do Diabetes – Novembro Diabetes Azul, em 14 de novembro.

A data foi escolhida pela Federação Internacional de Diabetes (IFD) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS) para conscientizar o mundo sobre o diabetes, suas causas e como evitar que a doença faça mais e mais vítimas.

O tema da campanha é Proteja sua família, um slogan que traz consigo duas informações fundamentais:

  1. é possível prevenir o diabetes
  2. a família desempenha um papel importante na prevenção e cuidados do diabetes

Nesse artigo, você vai saber o que é a doença, por que ela ocorre e o que precisa fazer para não ser mais um na estatística mundial de vítimas do diabetes.

O Que É Diabetes

Diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo.

insulina é um hormônio que tem a função de quebrar as moléculas de glicose (açúcar) transformando-a em energia para manutenção das células do nosso organismo.

O diabetes pode causar o aumento da glicemia e as altas taxas podem levar a complicações no coração, nas artérias, nos olhos, nos rins e nos nervos. Em casos mais graves, o diabetes pode levar à morte.

Existem dois tipos de diabetes:

Diabetes tipo 1: costuma aparecer na infância ou na adolescência, mas pode surgir em adultos também. Sua causa ainda é desconhecida, mas sabe-se que se trata de uma doença crônica não transmissível, porém hereditária, segundo o Ministério da Saúde. Por isso, quem tem parentes próximos com a doença precisa fazer exames regularmente, para acompanhar o nível de glicose no sangue.

Diabetes tipo 2: ocorre quando o corpo não aproveita adequadamente a insulina produzida. Está diretamente relacionado ao sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados, hipertensão e hábitos alimentares inadequados.

Existe ainda um estágio anterior, chamado de Pré-diabetes: fase preliminar ao desenvolvimento da doença. É diagnosticado quando os níveis de glicose no sangue estão acima do normal, mas ainda não são suficientes para caracterizar o diabetes de tipo 1 ou tipo 2. 

Prevenção Que Salva Vidas

Prevenir é a palavra de ordem para quem tem tendência para desenvolver diabetes ou precisa controlar a doença.

Quando o diabetes atinge um estágio elevado, as complicações sobre a saúde em geral são muito sérias. Vão desde o aparecimento de doenças cardiovasculares, doenças renais, retinopatia diabética até a neuropatia periférica, cujo sintoma mais conhecido é o pé diabético (infecções ou problemas de circulação nos membros inferiores, provocando o surgimento de feridas que não cicatrizam e infecções nos pés).

A melhor forma de prevenir é praticar atividades físicas regularmente, mantendo uma alimentação saudável e evitando consumo de álcool, tabaco e outras drogas.

Comportamentos saudáveis evitam não apenas o diabetes, mas outras doenças crônicas, como o câncer.

É importante também fazer exames de sangue periodicamente, para verificar os níveis de glicose, e tomar a medicação prescrita pelo médico.

Proteja A Sua Família

Pessoas com familiares diabéticos precisam redobrar a atenção aos hábitos alimentares e ao comportamento próprio e de seus entes queridos.

 A seguir confira os sinais de alerta mais comuns para o diabetes:

  • Aumento de sede e apetite;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Alteração visual;
  • Boca seca;
  • Emagrecimento e fraqueza

Os testes de glicemia e hemoglobina glicada são os dois exames laboratoriais mais comuns para o diagnóstico de diabetes. O primeiro detecta tanto a hipoglicemia como a hiperglicemia, ou seja, os níveis de açúcar no sangue estão abaixo ou acima do ideal.

Já o teste de hemoglobina glicada analisando a quantidade de glicose ligada à hemoglobina (célula do sangue). Assim é possível definir o consumo médio de açúcar dos últimos 90 dias, que é o tempo de vida médio das moléculas de hemoglobina. Esse índice é depois comparado a uma tabela de referência, indicando se a pessoa está ou não desenvolvendo diabetes.

Fácil e rápido, o teste de glicemia consiste de uma picada no dedo, com o uso de uma máquina de medição rápida de glicose, que dá o resultado na hora. Não é preciso fazer jejum para este teste. Se o resultado for positivo, deverá ser confirmado por um exame de sangue em laboratório. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *