fbpx

Cirurgia do aparelho digestivo: fique atento aos sinais que o corpo dá

Azia, queimação, refluxo e outros sintomas de má digestão podem significar mais do que uma simples indisposição estomacal. O corpo é um aliado da boa saúde e envia mensagens quando algo não vai bem. Neste artigo, você vai ficar sabendo quando esses desconfortos indicam que é hora de procurar o especialista e como a cirurgia do aparelho digestivo pode salvar vidas.

Um Aparelho, Vários Órgãos

Quando falamos em aparelho digestivo, é comum pensarmos em estômago, fígado, vesícula… Mas esse complexo sistema responsável pela digestão vai muito além. Tudo o que envolve a digestão de alimentos, extraindo deles os nutrientes necessários para o crescimento, energia, reprodução e locomoção do corpo, faz parte do aparelho digestivo, também chamado de sistema digestivo.

Desde a boca (porta de entrada dos alimentos) e seus órgãos digestórios acessórios (dentes, língua, glândulas salivares) até o ânus, todos os órgãos com alguma função no processo digestivo compõem esse intrincado sistema. Faringe, esôfago, estômago, intestinos delgado e grosso, além do fígado, pâncreas e vesícula biliar e vias biliares.

Quando algum sintoma indica que algo não vai bem, é preciso prestar atenção. Uma  consulta com o Gastroenterologista pode indicar a necessidade de uma cirurgia do aparelho digestivo. E quanto mais cedo ela for feita, maiores as chances de sucesso.

Cirurgias Digestivas Mais Comuns

Dor abdominal é sempre sinal de alerta e não deve ser menosprezada. Quando muito intensa, pode indicar inflamação do apêndice, a popular apendicite, e exigir cirurgia de emergência. Doenças bastante comuns como o refluxo e a gastrite também podem exigir cirurgia, quando o tratamento com medicamentos e dieta não trazem a cura ou o controle ideal dos sintomas.

A remoção da vesícula (colecistectomia) é outra cirurgia do aparelho digestivo bastante comum, além da remoção de tumores benignos e malignos em todo o sistema.

Doenças Do Aparelho Digestivo: Como Evitar

Embora as causas sejam diversas, o histórico familiar e a má alimentação são fatores de risco que predispõem às doenças do aparelho digestivo. Uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, com redução de alimentos industrializados, e principalmente evitar o consumo de álcool e cigarro, são formas de prevenir as doenças e viver melhor.  

A prevenção é feita ainda com o check-up dos órgãos do aparelho digestivo, que não tem idade certa para começar: o médico gastroenterologista saberá avaliar a necessidade, quais exames devem ser feitos e qual é o intervalo adequado para a sua repetição.

De modo geral, porém, o procedimento inclui ultrassonagrafia de abdômen total, além de exames ainda mais precisos como aendoscopia digestiva e acolonoscopia,  O check-up pode ajudar no diagnóstico precoce, quando as chances de cura são sempre mais altas, principalmente porque muitas doenças, inclusive vários tipos de tumores malignos, se desenvolvem silenciosamente sem apresentar sintomas.

Pedra Na Vesícula: Mais Comum Do Que Se Imagina

Cálculo vesicular, também conhecido como pedra na vesícula, é uma doença que atinge 10 milhões de brasileiros, segundo o Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva.

A bile, líquido produzido pelo fígado, e que atua na digestão de alimentos gordurosos, é o principal responsável pela formação destes cálculos, que são mais comuns em mulheres e obesos.

A doença se desenvolve silenciosamente, sem apresentar sintomas em seus estágios iniciais e pode evoluir para dor abdominal intensa, localizada no lado direito, enjoo e vômito, inflamação ou infecção na vesícula, icterícia (amarelão) e até pancreatite aguda. O tratamento é cirúrgico, e o diagnóstico acontece com ultrassom abdominal e tomografia. A cirurgia pode ser realizada por videolaparoscopia em alguns casos, sempre seguindo a avaliação do seu cirurgião. Para agendar consultas com os especialistas do Hospital Presidente, basta enviar um e-mail para [email protected] ou telefone para 2261-6611 – Ramal 1085, com Camila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *