Coloproctologia: quando o assunto é a saúde do intestino

Coloproctologia é a especialidade médica que cuida das doenças do intestino, reto e ânus. O intestino grosso, erroneamente chamado cólon, localiza-se na parte finaldo tubo digestivo. Éuma extensa área com cerca de 1,5 metro, dividida em três partes: ceco, colón e reto.

O ceco é a parte que se conecta ao intestino delgado, órgão que faz parte do sistema digestivo e se estende do estômago ao intestino grosso.  O cólon atravessa quase todo o abdômen e o reto é onde se dá o acúmulo das fezes, iniciando o processo de defecação. O reto une o cólon ao ambiente exterior por meio do ânus.  Todo esse conjunto de órgãos está sob o cuidado do coloproctologista.

O coloproctologista é o médico mais indicado para cuidar de qualquer alteração funcional do intestino, entre elas a constipação, diarreia persistente, dor e cólica abdominal, ou ainda sangramento anal. É ele também quem diagnostica e trata de doença sexualmente transmissível na região anal.

As doenças mais comuns

As hemorroidas estão entre os problemas de saúde que mais afetam os intestinos.  A Sociedade Brasileira de Coloproctologia estima que 1 a cada 2 pessoas desenvolverá hemorroidas, sobretudo entre 45 e 65 anos. 15% das grávidas também são afetadas pela doença, que se caracteriza pela inflamação das veias na região anal, causando dor e sangramento durante a defecação. Sem tratamento adequado, a doença pode evoluir para trombose hemorroidária, que provoca dor intensa ao evacuar e exige atendimento de emergência.

A principal causa das hemorroidas é a fraqueza dos tecidos de sustentação do canal anal e está relacionada muitas vezes a fatores hereditários. O diagnóstico é feito pelo exame clínico e também por exames de imagem, como sigmoidoscopia (analisa a parte final do cólon) e retossigmoidoscopia (examina ânus, reto e porção final do intestino grosso). Ambos os exames são feitos com a ajuda do endoscópio.  

O tratamento das hemorroidas exige mudança na alimentação. A dieta deve incluir mais frutas, verduras e legumes, aumentando a ingestão de fibras e líquido para melhorar o fluxo intestinal. O uso de pomada anestésica ou lubrificante e cirurgia para remover as veias que não responderem ao tratamento também são indicados.

Doença Inflamatória Intestinal

A doença inflamatória intestinal (DII) abrange as chamadas Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa.  Caracteriza-sepor uma inflamação crônica no intestino, que resulta em diarreia e dor abdominal. Acredita-se que a causa seja uma resposta exagerada do sistema imunológico à flora intestinal.

Os sintomas de DII são perda de peso, dor abdominal, constipação e diarreias frequentes. A doençaé mais comum entre adultos jovens de 30 a 40 anos. O diagnóstico é possível com exames de imagem, como endoscopia e colonoscopia, além de exames laboratoriais de sangue e fezes.

O tratamento da doença inflamatória intestinal é feito com medicação imunobiológica para reduzir a inflamação e a resposta imunológica. A cirurgia é indicada quando há partes comprometidas do intestino.

Câncer Colorretal

O Instituto Nacional do Câncer ( INCA)  estima que este tipo de câncer faça mais de 40 mil novas vítimas por ano no Brasil. A maioria dos tumores intestinais se forma a partir de um pólipo benigno (alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa do cólon e reto). A colonoscopia é o exame que identifica e remove o pólipo, evitando a sua transformação em câncer.  

A obesidade, o consumo exagerado de carne vermelha (mais de 500g por semana) ou ultraprocessada, como salsicha, linguiça, bacon, mortadela, peito de peru e salame, histórico de câncer intestinal familiar e Doença Intestinal Inflamatória são os fatores de risco mais importantes para o câncer colorretal apontados pelo INCA.

.

Alteração no peso, constipação e sangramento nas fezes são sintomas que exigem avaliação de um especialista. O diagnóstico é realizado com biopsia endoscópica. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que exame de sangue oculto nas fezes seja incluído no checkup anual de toda a população acima dos 50 anos.

Dicas para um intestino saudável

Hábitos alimentares nocivos estão no topo da lista dos inimigos dos intestinos. A digestão de carne vermelha em excesso, embutidos, enlatados e defumados resulta na produção de substâncias tóxicas, chamadas metabólitos, que podem levar à transformação das células da mucosa intestinal, originando o câncer, entre outras doenças.

Assim, para manter a saúde do intestino e suas partes, tenha em mente as seguintes recomendações:

  • Adote uma dieta rica em fibras, frutas, verduras e legumes
  • Mantenha-se hidratado
  • Cuide do peso
  • Pratique atividade física regularmente
  • Não fume
  • Evite consumir álcool em excesso

O Hospital Presidente tem a melhor equipe de especialistas da região. Para agendar uma consulta ou exame, basta mandar um e-mail para [email protected] ou telefonar para 2261-6611 – Ramal 1085, com Camila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *