fbpx

Cirurgia Vascular: muito além da vaidade

cirurgia vascular

A cirurgia para varizes é a primeira associação que a maioria das pessoas faz quando pensa em cirurgia vascular. Faz sentido. Há registros de tratamentos de varizes desde 400 a.C,, com enfaixamentos e até incisões, relatadas pelo filósofo Heráclito, tamanho o incômodo que o inchaço e deformação das veias traz.

Em conjunto com o angiologista, o cirurgião vascular é responsável pela saúde, diagnóstico e tratamento das veias, artérias e vasos linfáticos que formam o sistema circulatório do organismo.

Quando a indicação é cirúrgica, o médico decide entre dois tipos de cirurgia vascular: a convencional, com incisão, para a retirada de varizes, e a endovascular, realizada dentro da veia ou artéria, para desobstrução, em procedimentos como implantação de stents ou mesmo cateteres para quimioterapia.

Muito além das varizes, porém, o cirurgião vascular cuida de doenças que vão da aterosclerose à flebite e trombose, entre outras. Conheça as principais:

Aterosclerose: caracteriza-se pelo estreitamento das artérias por depósito de gorduras, cálcio e outros elementos. É uma doença crônica, progressiva e não apresenta sintomas até que cerca de 75% do calibre da artéria esteja obstruído. É mais comum em idosos, fumantes, obesos e pessoas sedentárias.  Os sintomas variam de acordo com o tipo de artéria. Veja os sinais:

  • Coronária (artéria do coração) – dor durante esforço (chamada dor de  angina) ou infarto
    • Carótida (artéria do pescoço) – alterações na visão, paralisias transitórias e desmaios e até derrame (acidente vascular encefálico – AVC)
    • Íliaca ou femural – (artérias de membros inferiores) – dor nas pernas, queda de pelos, atrofia da pele, unha ou muscular e até impotência sexual.

Varizes: atinge veias superficiais, que não se desenvolvem normalmente, que se dilatam e ficam deformadas, dificultando a circulação e provocando dor, sensação de cansaço nas pernas e inchaço. Os sintomas se agravam no final do dia e melhoram com a elevação das pernas. Esses sintomas são agravados no verão, no período menstrual e na gravidez.

Para prevenir ou melhorar esses sintomas é recomendável:

  • Perder peso
  • Caminhar ou fazer outros exercícios
  • Parar de fumar
  • Evitar anticoncepcionais
  • Usar meias elásticas – especialmente durante a gravidez

Trombose: acontece quando o sangue coagula no interior da veia. 90% dos casos acontecem nos membros inferiores. É mais comum em mulheres, por causa do uso do anticoncepcional; fumantes, pessoas que já possuem outras doenças vasculares, como varizes; insuficiência cardíaca, tumores malignos e obesos. Também pode acontecer durante cirurgias (inclusive no pós-operatório), gravidez, pós-parto e viagens longas. Se você tem histórico familiar é aconselhável usar meias compressoras durante viagens longas.

A trombose pode ser muito grave na fase aguda. Se um coágulo chegar ao pulmão, pode provocar embolia pulmonar. Se a doença se tornar crônica, pode deformar veias, dificultando a circulação. Quando isso acontece, a principal ameaça passa a ser a inflamação das paredes da veia, conhecida como flebite, que pode deixar a pele escura, provocar varizes grandes, inchaço e feridas de difícil cicatrização.

Mexa-se! A atividade física favorece o sistema vascular

Você já observou que o excesso de peso e o sedentarismo são fatores de risco importantes para todas as doenças do sistema circulatório. A mudança de hábitos, com a prática regular de exercícios físicos e alimentação equilibrada, colabora para diminuir o impacto desses fatores sobre a circulação e ajuda no controle de outras doenças crônicas, como a obesidade, hipertensão e o diabetes. E não precisa muito: 30 minutos de caminhada, 5 vezes por semana, já trazem benefícios para a saúde.

Para agendar uma consulta com o cirurgião vascular do Hospital Presidente, basta mandar e-mail para [email protected] ou telefone para 2261-6611 – Ramal 1085, com Camila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *