fbpx

Hospital Presidente celebra Dia Mundial da Higienização das Mãos

lavagem das mãos

Hábito simples pode salvar vidas e diminuir índices de infecção hospitalar

Lavar as mãos é um dos primeiros hábitos de higiene que aprendemos ainda na infância. Quem não se lembra da mãe mandando higienizar as mãos antes de comer e depois de usar o banheiro? De fato, manter as mãos limpas é uma das atitudes básicas para garantir a boa saúde.

Em um hospital, onde a vida está nas mãos dos médicos e profissionais de enfermagem, este hábito é ainda mais importante. O Ministério da Saúde estima que 14% dos pacientes podem adquirir infecções durante a internação hospitalar. Medidas simples, como manter as mãos limpas, podem reduzir este indicador.

Para conscientizar a população em geral, e os profissionais da saúde em particular, aOrganização Mundial de Saúde (OMS) definiu o dia 5 de maio como o Dia Mundial de Higienização das Mãos. A iniciativa começou em 2009 e ganhou uma relevância extraordinária este ano, como uma arma poderosa contra a Covid-19. O objetivo da OMS é reduzir infecções bacterianas e virais transmitidas pelas mãos.

Para marcar a data, o Hospital Presidente convidou o médico infectologista, Dr. Luiz Taveira dos Santos, para uma palestra sobre o tema, atraindo a participação de 75 colaboradores.

Higienizar ou lavar, qual é a diferença?

Lavar as mãos com água e sabão é a melhor forma de deixá-las limpas. Porém, como as soluções alcoólicas – entre elas, o famoso álcool em gel – também são eficientes para eliminar vírus e bactérias, o termo higienização foi adotado pela Organização Mundial de Saúde.

As etapas da contaminação

Segundo o infectologista Dr. Luiz Taveira dos Santos, a contaminação das mãos acontece pelas seguintes razões:

  1. As mãos entram em contato com a pele ou superfícies onde micro-organismos, como vírus e bactérias, estão presentes
  2. A capacidade destes micro-organismos de sobreviver fora do corpo humano
  3. A higienização das mãos é feita de modo incorreto ou com produto inadequado

No ambiente hospitalar, a transmissão ocorre quando o profissional de saúde, sem saber, leva a mão contaminada em contato direto com o paciente.

Recomendações da OMS

Com o objetivo de ajudar os profissionais de saúde a diminuir o risco de contágio dos pacientes, a Organização Mundial de Saúde mapeou os 5 principais momentos de contaminação pelas mãos, no ambiente hospitalar. São eles:

  • Antes de tocar o paciente
  • Antes de executar qualquer procedimento
  • Após possível risco de exposição a fluidos corporais
  • Após tocar o paciente
  • Após tocar superfícies próximas ao paciente

Blitz da Higienização

Após a palestra, os profissionais do Hospital Presidente participaram de uma experiência diferente.

Todos foram convidados a lavar as mãos com água e sabonete líquido. Para caprichar, receberam dicas especiais de como fazer a higienização correta, durante 20 a 50 segundos.

Ao voltar para o auditório, eles receberam um aditivo nas mãos e as colocaram numa caixa preta. A luz ultravioleta da caixa revelava as áreas onde ainda poderiam existir micro-organismos. As mãos reprovadas no teste ultravioleta voltavam à higienização, até ficarem completamente limpas.

O objetivo da experiência foi chamar a atenção de cada profissional para a importância de cumprir todas as etapas necessárias para a limpeza das mãos: esfregar o dorso de uma com a outra, os vãos dos dedos, as unhas, os polegares e o punho com água e sabão ou solução alcoólica.

Cuidado também com as luvas

Outro ponto de atenção para os profissionais de saúde são as luvas. Elas são um dos equipamentos de proteção individual mais importantes do dia a dia. Impedem que o profissional seja contaminado em contato com o paciente e protegem o paciente, caso o profissional tenha tocado em qualquer superfície contaminada após higienizar as mãos.

Para aumentar a eficiência das luvas é muito importante lavá-las com água e sabão. Lavar ou higienizar as mãos com solução alcoólica, antes de colocar e depois de tirar as luvas, é fundamental. Esse procedimento assegura uma higienização completa no cuidado com os pacientes.

Leia também:

Atendimento humanizado: cuidados que fazem a diferença e ajudam na recuperação

Hospital Presidente tem protocolo especial para casos de Covid-19

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *