Crianças na pandemia: atividade física não pode faltar

criança-na-pandemia

Mais irritabilidade e dificuldade de concentração são dois efeitos da falta de exercício para as crianças nesta quarentena

Entenda porque a atividade física é tão importante para as crianças durante o confinamento e o que fazer para que elas mexam o corpo em casa

Não é só o aprendizado que faz falta na escola. As aulas de educação física estão entre as preferidas da garotada. Proporcionam prazer e interação com os amigos. Assim, deixar o corpo inativo por muito tempo cobra o seu preço em saúde. Criança que não se exercita fica mais irritada, mais agitada e não consegue se concentrar nas demais atividades.

Além dos exercícios físicos, muitas crianças também estão sem as atividades extracurriculares, como a aula de futebol, de balé ou judô. É muita energia que precisa ser gasta no dia a dia, mesmo durante a quarentena.

A Sociedade Brasileira de Pediatria explica que os exercícios são fundamentais para o bom desenvolvimento musculoesquelético e intelectual das crianças. Mas cada faixa etária precisa de uma quantidade de exercício diferente. E, sim, essa quantidade é bem maior do que a recomendada para os adultos. Veja:

  • 0 a dois anos: antes mesmo de andar, os pais devem incentivar que os bebês tentem alcançar e segurar objetos. Brinquedos coloridos e sonoros chamam mais atenção. Os pequeninos devem ser incentivados a engatinhar, rolar, andar e correr em vários intervalos durante todo o dia, até 180 minutos.
  • 3 a 5 anos: também 180 minutos diários de exercícios moderados, mas com um número menor de intervalos. Não se esqueça de incluir atividades para o desenvolvimento da coordenação motora, como andar de bicicleta. As melhores opções são jogos com bola, perseguição e que façam as crianças correrem.
  • 6 a 19 anos: 60 minutos diários de atividade moderada ou intensa, ou seja, com respiração mais acelerada e elevação dos batimentos cardíacos. Nadar e correr são excelentes opções.

Dicas para os pais

A atividade física é fundamental, mas os pais precisam tomar muito cuidado para não forçar a criança a fazer o que ela não gosta. Isso pode gerar uma aversão à prática de exercícios físicos no futuro, o que é muito prejudicial à saúde.

  1. A primeira dica é ser um bom exemplo. Se os pais e irmãos são ativos, as crianças vão buscar inspiração nas atividades favoritas da família. Fazer atividade em conjunto também é uma ótima ideia, porque reforça os laços entre pais e irmãos.
  1. Crianças que moram em casa ou apartamento com área livre devem aproveitar. O sol também é muito importante para o desenvolvimento infantil. Mas os especialistas garantem que não vale a pena arriscar uma possível contaminação em parques e praças públicas.
  1. Para as crianças menores, a principal dica é a brincadeira. Quanto mais lúdica a atividade, mais atrativa.

Se a brincadeira precisa ser em ambiente fechado, vale exercitar a criatividade também para criar jogos como caça ao tesouro e circuitos com atividades como saltar, agachar e correr no lugar. Vale a pena até apelar para as telas. Há vários canais infantis no You Tube que propõem atividades como ioga infantil, judô e balé para as crianças. A música é também uma ótima alternativa. As crianças adoram dançar e há canais e aplicativos com coreografias apropriadas para todas as idades.

  1. Para terminar, é importante ficar atento à hidratação. É possível oferecer água durante a brincadeira, mas as frutas, como melancia e até salada de frutas, são excelentes opções, porque além de hidratar, oferecem outros nutrientes.

Leia também:

Férias seguras: alguns cuidados são indispensáveis para evitar acidente e deixar a criançada aproveitar para valer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *