fbpx

Uso excessivo de celular pode afetar o desenvolvimento das crianças

Longos períodos de exposição às telas podem atrapalhar habilidades de linguagem e sociabilidade.

Neste texto, você vai entender como o uso excessivo de celular, tablet e outras telas pode ameaçar o pleno desenvolvimento das crianças. Veja também dicas para identificar se seu filho está passando tempo demais na frente dos eletrônicos e sugestões para limitar seu uso.

As crianças começam a usar o celular cada vez mais cedo. Diverte, distrai, permite que mães e pais cansados encontrem alguns minutos para um banho mais demorado. Usado corretamente, o celular e outros dispositivos eletrônicos podem estimular o desenvolvimento de meninos e meninas. O problema é quando o uso se torna exagerado.

O tema é tão sério que a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) editou um guia para orientar pais, responsáveis, pediatras e educadores no uso seguro da internet pelos pequenos. Com o título #MenosTelas #MaisSaúde, o manual alerta para o que chama de intoxicação digital a que os pequenos podem ser expostos. Os riscos são tão severos que a Organização Mundial de Saúde (OMS) já incluiu a dependência digital na lista internacional de doenças, classificada como CID 11.

A grande variedade de aplicativos, redes sociais e jogos on-line destinados a crianças e adolescentes ajuda a entender esse fenômeno. Pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) aponta que 86% das crianças e adolescentes brasileiros, entre 9 e 17 anos, estão conectados. E nem sempre navegando em conteúdos adequados.

 

O que veem os menores

É preciso redobrar o cuidado e monitorar o que os nossos filhos estão vendo pela internet. De acordo com a pesquisa do CGI.br, 20% das crianças e adolescentes relataram ter acesso a conteúdos sobre alimentação e sono; 16% sobre formas de machucar a si mesmo; 14% sobre informações de suicídio; 11% sobre experiências de uso de drogas. Do total, 26% disseram ter sido vítimas de discriminação ou cyberbullying; 16% tiveram acesso a imagens ou vídeos com conteúdo sexual e 25% admitiram que não conseguem controlar o tempo que passam na internet.

 

Impacto na saúde

A exposição excessiva a jogos on-line e aplicativos pode desencadear em aumento da agressividade e intolerância, segundo a SBP. Se não tratadas, as marcas desse comportamento podem se estender até a vida adulta, ainda de acordo com a entidade.

A SBP relaciona 15 doenças causadas pelo uso excessivo da internet nas duas primeiras décadas de vida. Além da dependência digital, a lista inclui problemas de saúde mental, déficit de atenção e hiperatividade, transtornos do sono, de imagem corporal e autoestima, obesidade ou anorexia/bulimia, sedentarismo, problemas visuais e auditivos, riscos na sexualidade, comportamentos autolesivos, indução ao uso de drogas e ao suicídio.

 

Tempo ideal

Não há uma fórmula pronta para pais e responsáveis controlarem a exposição das crianças e adolescentes às telas eletrônicas. Tudo depende da faixa etária.

A SBP recomenda o seguinte tempo de exposição:

  • Para crianças acima de 6 anos, o tempo não deve exceder duas horas por dia. Se o adolescente precisa fazer pesquisa escolar, os pais devem estabelecer intervalos para descanso e atividade física e restringir o acesso aos jogos on-line e redes sociais.
  • Até os 2 anos de idade, o acesso deve ser evitado, principalmente durante as refeições ou uma hora antes do sono.
  • Entre 2 e 5 anos, a exposição deve se restringir a apenas uma hora por dia.

É essencial que os pais ou responsáveis escolham jogos e filmes adequados a cada faixa etária e acompanhem a navegação dos pequenos, especialmente dos menores de 6 anos.

 

Como controlar o tempo

Para saber se as crianças estão ultrapassando o limite, basta responder a algumas perguntas simples:

  • O tempo de tela na sua casa é controlado?
  • O uso de telas interfere no que a família quer fazer?
  • O uso de telas interfere no sono dos filhos?
  • Você consegue controlar o que a criança come durante o tempo de uso de tela?

A partir dessas respostas é possível avaliar o uso de smartphones e outros dispositivos eletrônicos. É cada vez mais comum que adolescentes adiem a hora de dormir para jogar videogame ou interagir nas redes sociais. Se isso acontece na sua casa, você deve impor normas mais rígidas no uso dos eletrônicos. Uma dica é estabelecer um horário para as crianças irem para a cama e proibir o uso das telas uma hora antes disso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *