fbpx

Dia da Criança: é hora da brincadeira

dia das crianças

Brincar com os filhos constrói vínculos mais fortes entre a família e contribui para o desenvolvimento físico, intelectual e emocional das crianças.

Todos os pais querem preparar os filhos da melhor forma possível para o futuro, mas, você sabia que a hora da brincadeira é um momento fundamental para essa preparação? Quando a família brinca junto, a criança se sente mais segura para os desafios que virão pela frente.

Neste texto vamos explicar todos os benefícios da brincadeira em família e dar dicas para que esses momentos sejam ainda mais divertidos.

 

Tem a escola, a aula de inglês, de balé e tantas outras atividades que a criança fica com agenda de adulto. Longe de prepará-la para o mercado profissional e a vida futura, essa rotina intensa mais atrapalha do que ajuda. A Sociedade Brasileira de Pediatria lembra que a hora de brincar é o momento de exercitar a autonomia. É quando a criança solta a imaginação e tem liberdade para encontrar seu próprio jeito de vencer os desafios.

É claro que ela adora brincar sozinha ou acompanhada por crianças de sua idade, mas, quando os pais entram na brincadeira, o desenvolvimento infantil é ainda mais assertivo. 15 minutos entre pais e filhos, todos os dias, já farão uma grande diferença.

 

Por que brincadeira é coisa séria?

As brincadeiras ao ar livre são ótimas para desenvolver a coordenação motora e tirar as crianças da frente das telas. Elas começam a conhecer o próprio corpo e desenvolver competências socioemocionais. Aqui entram espírito de liderança, aprender a perder ou negociar para ganhar. Nem pense em controlar a brincadeira. Você traz a ideia, mas permite que os pequenos exerçam sua autonomia.

Aprender a andar de bicicleta ensina a persistir, eleva a autoestima e ainda exercita a resiliência. A atenção e o autocontrole são amplamente estimulados nos jogos de tabuleiro e até na hora de montar um quebra-cabeça. Raciocínio lógico e estratégia são a chave para vencer uma boa partida e serão exercitados.

Estar em família ensina a respeitar a vontade e os limites do outro e incentiva o trabalho em equipe. As regras da brincadeira são o primeiro passo para entender essa palavrinha, que vai permanecer por toda a vida. Melhora a comunicação porque ajuda a criança a dizer o que quer e aos pais ajuda a parar, ouvir e entender.

A criatividade e a imaginação também são fundamentais na hora de brincar. Criar histórias e aventuras com os filhos ajuda as crianças a se conhecerem melhor, superando a timidez comum na infância.

 

Dicas para entrar na brincadeira

  • Falta de tempo não é desculpa. Mesmo que você tenha apenas 15 minutos, dedique-se e esteja presente. Nada de parar para dar uma olhadinha no celular.
  • Para jogar futebol não basta chutar a bola. O goleiro cai no chão. O time comemora as boas jogadas. Entre no personagem e se divirta junto com as crianças. É assim que esses momentos se tornam memórias especiais.
  • Cumpra com a sua palavra. Se você disse que vai brincar só 30 minutos, a brincadeira tem que ter hora para acabar. E vale o contrário também: se prometeu, não deixe para depois.
  • Brinque de acordo com a idade do seu filho e envolva os irmãos. Só que, para alcançar os benefícios do desenvolvimento infantil, é preciso saber o que funciona para cada idade.
  • Até 2 anos: é a hora de descobrir o mundo por meio das cores, das formas, e dos sons. Apresente o mundo ao seu filho. Vale brincar na água e no chão. Cuidado apenas com os brinquedos muito pequenos. Nessa idade, quase tudo vai parar na boca.
  • Até 5 anos: é o momento mágico da imaginação. Inventar e teatralizar histórias, pintar, desenhar e fazer “arte”. As brincadeiras ao ar livre são um sucesso: pega-pega, pique-esconde e jogar bola vão renovar as energias da família inteira.
  • Até 7 anos: agora as crianças já têm coordenação motora para construir engenhocas, encarar os quebra-cabeças mais difíceis e até vencer você no dominó e no jogo da memória.
  • Acima dos 7: a energia continua alta e o esporte deve fazer parte da vida da família. Em casa, os jogos de estratégia são mais complexos. É quando as crianças refinam o que aprenderam em relação à negociação, ao respeito ao outro e à persistência. Proponha sempre novidades e aceite as propostas deles. Até o videogame pode ser muito divertido, desde que não tome o espaço das outras atividades.

 

Leia também:

Crianças na pandemia: atividade física não pode faltar

Férias seguras: alguns cuidados são indispensáveis para evitar acidentes e deixar a criançada aproveitar para valer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *