fbpx

Menstruação: a primeira e a última marcam a vida das mulheres

menstruação

Ciclo reprodutivo traz desafios e também alegrias, como os filhos.

 

A primeira menstruação marca o fim da infância o início da vida adulta das meninas. Acontece, geralmente, entre os 9 e os 16 anos e indica muitos sinais para a boa saúde, até a menopausa. Conheça aqui todas as etapas desse ciclo que acompanha a vida das meninas e das mulheres.

 

Às vezes, a menstruação acontece durante o sono ou no meio de uma brincadeira e traz mudanças definitivas. Mas, ainda não é a primeira menstruação, também conhecida como menarca. Antes, vem a telarca, com o apontamento dos seios, e depois a pubarca, quando surgem pelos pubianos e axilares.

A primeira menstruação, porém, é em si só um fenômeno inesquecível. Toda mulher vai se lembrar da primeira vez em que ficou menstruada, isso porque a menarca indica o início da maturidade sexual e reprodutiva. Em outras palavras, é a confirmação do corpo de que, biologicamente, já está pronto para a maternidade.

Como isso acontece?

As meninas já nascem com a quantidade de óvulos que terão durante toda a vida, mas os hormônios precisam entrar em ação para a maturação desses óvulos. Esse processo começa no hipotálamo, com a produção do GnRH, hormônio que estimula a hipófise a produzir dois outros hormônios sexuais: o folículo-estimulante (FSH) atua na maturação dos óvulos e o luteinizante (LH) ajuda no rompimento do folículo. Todos os óvulos ficam armazenados em folículos individuais, dentro dos ovários; ao se romperem, eles se transformam em corpos lúteos. Enquanto crescem os folículos, o organismo feminino produz mais um hormônio, o estradiol, responsável pelo espessamento do endométrio.

O endométrio é um revestimento da parede interna do útero, onde o óvulo fecundando vai se fixar e desenvolver. Quando não há fecundação, o corpo elimina o endométrio e acontece a menstruação. É normal a mulher perder até 80 ml de sangue durante três a cinco dias.

Após a menarca, o ciclo menstrual pode demorar até dois anos para se regularizar. A duração desse ciclo varia de mulher para mulher, mas, em geral, tem 28 dias. Quando o ciclo se estabelece, pode vir acompanhado da tensão pré-menstrual. As meninas podem sentir os seios mais sensíveis, dor de cabeça e irritação. Os médicos ginecologistas recomendam que esses sintomas sejam anotados, porque há mais de 100 sintomas diferentes relatados pelas mulheres em consequência da tensão pré-menstrual. Quando você conhece seu corpo é mais fácil para o médico indicar o medicamento e o tratamento correto para aliviar os sintomas.

Algumas mulheres sofrem muito com a tensão pré-menstrual, também chamada de TPM. A combinação de irritabilidade excessiva, oscilação de humor e cólicas dolorosas prejudica muito a qualidade de vida. Se você sente esses ou outros sintomas durante o período menstrual, saiba que não é preciso sofrer. Basta procurar orientação médica porque, com alguns exames e os medicamentos certos, você pode ficar bem.

 

O que acontece durante a menopausa?

Depois dos 40 anos começa o climatério, ou perimenopausa. É a despedida da vida reprodutiva da mulher, quando acaba a reserva ovariana. O primeiro sinal é a irregularidade do ciclo menstrual. Outros são ondas de calor, insônia, diminuição da libido e até depressão.

A menopausa marca o primeiro ano sem menstruação. O que determina a idade para a menarca e para a menopausa são fatores genéticos. Entre as brasileiras, a menopausa acontece por volta dos 50 anos. Há especulações sobre quanto mais jovem a menina menstrua, mais cedo acontece também a menopausa, mas ainda não há certeza sobre essa relação. O que se sabe é que, a exemplo da TPM, a menopausa não precisa ser um período de sofrimento. É só buscar orientação médica para determinar qual o melhor tratamento para você.

 

O Hospital Presidente conta com uma equipe de ginecologia altamente capacitada. Você pode contar conosco para ter apoio em todas as fases da vida reprodutiva. É só agendar uma consulta pelo telefone (11) 2261-6611, ramal 1085, com a Ana Paula. Você pode ainda enviar um e-mail para [email protected].

 

Leia também

Ginecologia: medicina para todas as fases da vida da mulher

Outubro Rosa: oito respostas para as dúvidas mais frequentes sobre o câncer de mama

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *