fbpx

Março Azul-marinho

março azul-marinho

Campanha Março Azul-marinho quer conscientizar sobre o câncer colorretal.

 

O câncer colorretal é um dos tipos de câncer mais comuns. O principal sinal do problema durante muito tempo foi a presença de sangue nas fezes, mas a colonoscopia é um exame ainda mais preciso e o melhor é que permite o diagnóstico precoce e a retirada de pólipos e lesões em estágios iniciais. Saiba mais sobre o Março Azul-marinho, exame e outros fatores de risco a seguir.

 

As campanhas de câncer de mama e câncer de próstata popularizaram as informações sobre as doenças e suas formas de prevenção. É exatamente essa a intenção da Campanha Março Azul-marinho: conscientizar as pessoas da importância de um diagnóstico precoce para o câncer colorretal.

Quando uma doença é muito comum, os governos recomendam exames de rastreio. É uma forma de identificar a doença em seus estágios iniciais e com mais e melhores chances de cura, como no caso da mamografia, por exemplo.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima mais de 40 mil novos casos de câncer colorretal todos os anos. A doença atinge tanto homens como mulheres e é mais comum a partir dos 50 anos. Acredita-se que a obesidade está relacionada com o câncer, assim como um estilo de vida sem exercícios e má alimentação. Ainda não há recomendação para exames anuais de rastreio, mas muitos especialistas já sugerem pelo menos um exame de colonoscopia após os 50 anos para identificar a presença de pólipos intestinais.

 

O que são pólipos?

O câncer colorretal é um tumor que atinge a parte final do intestino grosso, o cólon, e o reto. Hoje se sabe que mais de 90% dos tumores são causados por lesões que se agravam silenciosamente. O tipo mais comum dessas lesões é o pólipo intestinal.

Os primeiros sintomas do câncer colorretal são sangue nas fezes, dor abdominal, mudanças no funcionamento do intestino, fadiga e perda de peso acentuada. Infelizmente, esses sintomas costumam surgir quando as lesões já são graves.

O exame colonoscopia consegue identificar os pólipos em suas fases iniciais e removê-los antes que se desenvolvam como lesões malignas. Se há casos de câncer de intestino na família ou se você observar mudanças no funcionamento do intestino após os 50 anos é bom conversar com um médico.

 

Internação para colonoscopia

Para identificar todas as possíveis lesões é preciso que o intestino esteja “limpo”, sem resíduos de fezes, por isso, é necessário adotar uma dieta muito leve dois dias antes da colonoscopia, usar laxantes e fazer um jejum rigoroso. Não seguir essas orientações significa comprometer a precisão do exame.

O jejum pode trazer alguns sintomas desagradáveis, como fraqueza e até desidratação. É por isso que o Hospital Presidente oferece internação para a realização do exame de colonoscopia para pacientes acima de 65 anos. Assim, a pessoa pode receber soro para manter-se perfeitamente hidratada e também ter seus sinais vitais monitorados. Isso é importante principalmente para os pacientes hipertensos e idosos.

A internação é realizada na manhã do dia do exame e o paciente deve estar acompanhado de um adulto maior de 18 anos. Após o exame não é preciso qualquer dieta especial, recomenda-se apenas atenção especial para beber bastante água e evitar bebidas alcoólicas. Pacientes abaixo dos 65 anos devem realizar o preparo em casa, a partir das instruções passadas pelo médico ou hospital.

O exame é feito com sedação e é totalmente indolor. O paciente recebe alta após uma refeição leve, oferecida pelo próprio hospital. No dia seguinte, já é possível voltar às atividades normais, inclusive esportes.

 

Para agendar uma consulta ou exame no Hospital Presidente é só ligar para a Ana Paula no (11) 2261-6611, ramal 1085, ou enviar um e-mail para [email protected].

 

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *