fbpx

Segurança do paciente: mais do que lei, é nossa maior prioridade

Segurança do paciente

O Hospital Presidente mantém processos internos de melhoria contínua para reduzir incidentes no atendimento médico e hospitalar.

 

Dados do Ministério da Saúde mostram que 7,6% dos pacientes no Brasil acabam sofrendo algum tipo dano à saúde por erros. A Medicina não é uma ciência exata e seus profissionais são todos humanos. Erros vão sempre existir, mas o mesmo estudo mostra que 66% deles são evitáveis. Saiba agora quais são e como é possível garantir a segurança do paciente.

 

Talvez a única forma de vencer um desafio é reconhecer que ele existe e enfrentá-lo. Por isso, em 2013 o Ministério da Saúde lançou o Programa Nacional de Segurança do Paciente. O objetivo é reduzir os erros que acontecem em toda a cadeia de serviços de saúde – hospitais, laboratórios e consultórios médicos.

Os números na época justificavam esse esforço: 7,6% dos pacientes no país sofriam com algum erro, todos os anos. A Medicina não é Matemática e, infelizmente, algumas vezes não é tão simples salvar vidas. O mesmo estudo do Ministério da Saúde mostrou que é possível evitar quase 66% dos erros que acontecem todos os anos. O Programa Nacional de Segurança do Paciente luta contra essas falhas, que acontecem desnecessariamente e impactam a vida e a saúde dos pacientes.

 

Situações evitáveis

Mesmo quando não há prejuízo nenhum para o paciente, existe o risco que deve ser evitado. Quando isso acontece? Ao se administrar uma dosagem de medicamento maior do que a prescrita ou deixar o paciente escorregar da maca, por exemplo, ou quando um colega alerta o outro sobre um procedimento que seria realizado com erro ou que há falha na identificação.

Todos esses incidentes precisam ser comunicados ao Ministério da Saúde. O objetivo não é punir ninguém, mas identificar quais são as situações mais comuns que podem gerar erros desnecessários e, assim, estabelecer processos para evitar riscos e elevar a qualidade do atendimento médico em todos os hospitais, públicos e privados.

As ações, às vezes, são muito simples. Aumentar a letra nas etiquetas ou pulseiras de identificação dos pacientes facilita a leitura. Checar a medicação não apenas na hora da preparação, mas também no momento da aplicação, é outro bom exemplo. O Programa Nacional de Segurança do Paciente reúne boas práticas para elevar a qualidade de toda a cadeia de atendimento.

 

Segurança do paciente também para o mercado

Algumas vezes, a solução não é tão simples. A resolução para o problema pode até movimentar o mercado de equipamentos médicos, incentivando a inovação e o desenvolvimento de novos produtos.

Isso acontece, por exemplo, quando as instituições vão ao mercado buscar equipamentos, como macas e cadeiras de transporte mais seguras. O setor sabe que é hora de criar diferenciais nesse sentido e as agências reguladoras, informadas dos riscos, desenvolvem novos critérios de qualidade. Toda a cadeia de serviços se movimenta em prol da saúde, beneficiando a transparência do enfrentamento de situações perigosas.

 

Conheça os alvos de melhoria

A preocupação com a Segurança do Paciente não está só no Brasil. Vários órgãos internacionais de saúde têm políticas de qualidade nesse sentido. Essas políticas inspiraram o Ministério da Saúde a eleger os alvos de melhoria aqui também. São eles:

  1. Identificar corretamente todos os pacientes;
  2. Comunicação clara e efetiva entre os profissionais de saúde;
  3. Melhorar a segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos;
  4. Assegurar que as cirurgias aconteçam em locais adequados, com procedimentos e paciente corretos;
  5. Higienização das mãos;
  6. Reduzir quedas e feridas por pressão;
  7. Melhorar a prescrição de transfusões e o uso de hemocomponentes.

O Hospital Presidente adota todas as boas práticas de melhoria de qualidade recomendadas pelo Programa Nacional de Segurança do Paciente. Além disso, investe continuamente em novos equipamentos e produtos que elevam nossos níveis de segurança. Um exemplo são as novas cadeiras Prime TC Stryke recém-compradas para o nosso Pronto Atendimento. Equipadas com sistemas de travas e articulação para as pernas, elas reduzem o risco de quedas e facilitam o transporte dos pacientes.

 

O serviço de Pronto Atendimento do Hospital Presidente atende 24 horas por dia para casos de urgência e emergência médica. O Hospital fica na Avenida Nova Cantareira, 2.398, Água Fria. O acesso é facilitado tanto pela Avenida Tucuruvi como na própria Avenida Nova Cantareira e na Avenida Água Fria.

 

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *