fbpx

Meditar faz bem!

meditar

Atividade traz benefícios para a saúde física e emocional

 

Você já deve ter ouvido falar do impacto da meditação para a diminuição da ansiedade e a melhora do equilíbrio mental. Essa prática milenar, que combina exercícios de postura, respiração e concentração, também faz bem para o corpo. Conheça alguns dos seus principais benefícios a seguir.

 

Os especialistas afirmam que a meditação tem suas origens na Índia. É uma prática muito antiga para desacelerar o ritmo dos pensamentos. O objetivo é trazer mais calma, equilíbrio e clareza para o dia a dia. É bastante associada às filosofias orientais, como a ioga, ou caminhos de elevação espiritual e até religiosos, como o budismo.

Existe uma série de práticas e estilos de meditação, mas todos combinam exercícios de postura, respiração e concentração. Essa tríade faz bem não só para os pensamentos e emoções, mas também para o corpo.

 

Boa postura

A Universidade de Winsconsin-Madison, nos Estados Unidos, afirma que exercícios com foco na respiração e boa postura são responsáveis por aliviar a dor e até reduzir inflamações em casos de doenças crônicas, como a artrite. É claro que, para alcançar isso, é preciso meditar com frequência.

 

Coração saudável

Já há estudos que comprovam que a meditação e o controle da respiração ajudam a reduzir o cortisol no organismo. Esse é o hormônio do estresse e é por isso que a meditação consegue ajudar a controlar a ansiedade e o ritmo dos batimentos cardíacos.

A Universidade da Califórnia já concluiu que meditar 30 minutos diariamente reduz as chances de ter um ataque cardíaco, não só por causa do cortisol. A Benson-Henry Institute for Mind Body Medicine, em Boston, descobriu que meditar também ajuda a controlar e até reduzir a pressão arterial, ótima notícia para a saúde do coração.

 

Ansiedade e depressão

A ansiedade costuma vir acompanhada de um turbilhão de pensamentos e emoções. A meditação ajuda a acalmar a mente e assim elevar a produção de hormônios relacionados ao bem-estar.

A prática cotidiana é como uma dose diária desses hormônios no organismo. É por isso que as pessoas deprimidas afirmam se sentir melhor depois de meditar, pois o corpo é estimulado a produzir endorfina. A prática diária consegue estabelecer um círculo positivo de bem-estar para esses pacientes. É um alívio!

Obviamente, não dá para vencer os transtornos de ansiedade e depressão apenas com meditação. É preciso seguir as orientações médicas que, em geral, associam terapia e uso de medicamentos.

 

Concentração e memória

Outra pesquisa da Universidade da Califórnia mostrou que os exercícios de foco das práticas meditativas também ajudam a memória e até elevam a atenção para a realização de tarefas repetitivas do dia a dia.

Já a Universidade de Boston estuda como a meditação ajuda o cérebro a melhorar suas respostas aos estímulos externos, sem apatia e sem agitação.

É preciso lembrar que o cérebro possui plasticidade; isso quer dizer que quanto mais você o usa para determinadas funções, melhor ele fica nessas tarefas. Ou seja, exercitar o cérebro, mesmo com meditação, ajuda o órgão a organizar informações e a memória dos exercícios. Essa é uma grande arma para afastar Alzheimer e outras demências.

 

A meditação é uma dose diária de bem-estar, porém, sozinha, não pode assegurar a saúde de ninguém. É importante manter uma alimentação saudável, praticar exercícios e dormir bem e também realizar seu check-up com regularidade. Para agendar uma consulta é só ligar para a Ana Paula no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085, ou enviar um e-mail para [email protected].

 

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *