fbpx

Junho Vermelho: bancos de sangue de todo o país estão em estado crítico

junho vermelho

Sem causar dor ou riscos para a saúde, a doação de sangue é uma das formas mais simples de salvar vidas.

 

Com a chegada do inverno, o número de doações pode cair até 30%. Isso acontece principalmente porque as doenças respiratórias, como gripes e resfriados, tornam-se muito mais frequentes e podem impedir muitos doadores. É preciso estar bem de saúde para fazer esse gesto de solidariedade. Saiba mais sobre a doação de sangue no texto a seguir.

 

É muito difícil salvar vidas sem a doação de sangue. Além das transfusões necessárias para muitos quadros graves, as cirurgias também seriam quase impossíveis sem esse recurso. E nem são necessários muitos doadores: a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que bastam 5% da população fazendo doações regulares para não faltar sangue nos hospitais e hemocentros. O problema é que, em muitos países, esse número é muito menor. No Brasil, a estimativa é que não ultrapasse 1,6% da população apta a doar sangue.

Com a pandemia e o receio de sair de casa, os bancos de sangue estão em níveis críticos e precisam de ajuda, mas, não é preciso ter medo. Segundo o Banco de Sangue de São Paulo, os locais de captação estão preparados para receber os doadores sem perigo de contaminação pelo novo coronavírus. Todo o material usado para a coleta de sangue é individual, descartável, apirogênico (não causa febre) e estéril. Além disso, sempre é bom destacar, uma única doação pode salvar até quatro vidas, por isso é preciso que todos se engajem nessa corrente de amor ao próximo e à vida. Veja aqui se você pode ser um doador e não deixe para depois.

 

Gripes e resfriados

Em quadros leves é preciso esperar de sete a 15 dias depois de os sintomas desaparecerem para fazer a doação. É preciso também esperar pelo menos 48 horas após tomar a vacina da gripe. Sobre outras vacinas e outras condições de saúde é recomendado consultar o seu médico.

 

Tatuagens e piercings

É preciso esperar um ano para doar sangue depois de fazer uma tatuagem. É melhor esperar o mesmo período depois de colocar piercing, desde que não seja na boca ou na área genital. Esses locais contêm muitas bactérias, naturalmente, que podem ir para a corrente sanguínea e prejudicar o receptor do sangue.

 

Grávidas e cirurgias

Gestantes não podem doar sangue e, mesmo depois do parto, é mais seguro esperar algum tempo.

Mulheres que deram à luz em parto normal devem esperar 90 dias. Se o bebê nasceu por cesariana é preciso esperar um pouco mais, 180 dias. Esse é o intervalo indicado para qualquer cirurgia.

Agora, lembre-se: as pessoas não são todas iguais. Depois de uma cirurgia, a atitude mais recomendada é pedir a autorização do seu médico para doar. Ele conhece melhor as suas condições clínicas e pode avaliar se você já está pronto ou não para fazer esse gesto solidário.

 

Vacinas

Cada vacina tem um período ideal para habilitar à doação de sangue. Se você é um doador regular, pergunte ao seu médico ou enfermeiro quando você pode voltar a doar. Os intervalos são muito diferentes. Apenas como exemplo, para a vacina da gripe bastam 48 horas, já para a vacina de febre amarela o recomendado é esperar quatro semanas.

 

Endoscopia

Quase ninguém sabe, mas não é só depois de fazer uma cirurgia que você precisa esperar para doar sangue. Procedimentos como endoscopia ou colonoscopia também precisam de um intervalo de seis meses para a próxima doação.

 

Quando doar

Todas as pessoas entre 18 e 69 anos podem ser doadoras. O ideal é descansar bem antes da doação, fazer uma alimentação leve e não consumir bebidas alcoólicas 24 horas antes.

 

Como doar

No site da Fundação Pró-Sangue é possível agendar a doação escolhendo dia, horário e local da coleta. Tudo muito simples e rápido. Confirme com seu médico se você está apto para a doação e deixe o coração falar mais alto!

 

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *