fbpx

21 de Junho: Dia Nacional do Controle da Asma

controle asma

21 de Junho: Dia Nacional do Controle da Asma

 

É possível respirar bem e evitar as crises de asma.

 

A asma é uma doença inflamatória que atinge os brônquios, nos pulmões. Inflamados, os pequenos canais que levam o oxigênio tornam-se mais estreitos, causando a sensação de falta de ar e sufocamento. Entenda mais sobre a asma e como viver melhor com ela no texto a seguir.

 

Em plena pandemia de covid-19 é fácil achar que a asma é uma condição muito perigosa para essa nova doença. No entanto, ainda há dúvidas sobre isso. Por um lado, a asma atinge os pulmões – um dos principais órgãos infectados pelo novo coronavírus, mas, de outro, os pacientes asmáticos têm uma quantidade menor da enzima conversora de angiotensina 2. Essa é uma das proteínas que ajudam o vírus a se ligar  às células humanas. 

 

Enquanto a ciência procura uma resposta, já se sabe como diferenciar as duas doenças.  Embora a falta de ar seja um sintoma comum, no caso de uma crise de asma ela tende a desaparecer com uma inalação ou, se a crise for provocada por uma alergia, com o uso de antialérgico. Se os sintomas não melhorarem, é hora de buscar orientação médica para confirmar o diagnóstico de covid-19 e iniciar o tratamento. 

 

A asma é muito mais comum do que se pensa

 

O Ministério da Saúde estima que cerca de 5% dos brasileiros têm asma.  É uma doença inflamatória que causa o “estreitamento” dos brônquios que levam o ar aos pulmões. Há pacientes que descrevem as crises como “respirar com um canudo”. Falta ar. 

 

A ciência ainda não tem uma resposta definitiva para as causas da asma, mas, já apurou que ela é mais comum em pessoas com histórico familiar. Isso quer dizer que a asma é hereditária, transmitida dos pais para os filhos. É também mais comum em crianças com muitas doenças respiratórias de repetição ou alergias. Ainda não há cura, mas é possível controlar as crises de falta de ar com medicamentos. 

 

Níveis de gravidade 

A gravidade das crises é classificada de acordo com a intensidade e a frequência. Veja:

  • Intermitente: sintomas até dois dias na semana, que não impossibilitam as atividades do dia a dia;
  • Leve persistente: sintomas mais de duas vezes na semana, mas com pequeno impacto nas atividades.;
  • Moderada persistente: sintomas diários que limitam algumas atividades mais intensas, como exercícios físicos;
  • Grave persistente: sintomas diários que dificultam muito todas as atividades do dia a dia 

Dicas para evitar as crises

A asma é uma doença crônica, isso significa que não há cura para essa inflamação, mas é possível ter uma vida normal e evitar as crises, controlando algumas situações com dicas simples. 

  • Fique longe da fumaça do cigarro: fumar, nem pensar! Mesmo que você não fume,  afaste -se quando alguém acender cigarro, charuto ou narguilé perto de você; 
  • Evite a poeira doméstica, principalmente no quarto. Protetores de colchão e travesseiros são muito úteis. Evite tapetes e cortinas. Se usar ar-condicionado, não esqueça da limpeza dos filtros; 
  • Evite o contato com animais domésticos: o pelo de cães e gatos pode irritar os seus pulmões. Não permita nem mesmo que os bichinhos entrem no quarto de dormir ou fiquem no sofá; 
  • Nada de exercícios muito intensos. Faça exercícios leves. ; 
  • Cuidado com o frio. Agasalhe-se bem no inverno e proteja o nariz com um lenço. O ideal é não se expor a temperaturas muito baixas.;
  • Cuidado com medicamentos: sempre que precisar de remédios, informe o médico que você tem asma, assim, ele pode optar por medicações que não desencadeiam crises, como a aspirina e alguns corticoides. 

 

Agora, atenção: se a crise não diminuir com os remédios e orientações do seu médico, é preciso buscar socorro imediato. O Hospital Presidente conta com um serviço de Pronto Atendimento 24 horas. Não é preciso agendar. O endereço é Avenida Nova Cantareira, 2.398, Água Fria. Estaremos prontos para ajudar você. 

 

Leia também:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *