fbpx

Dia Nacional de Combate ao Fumo

29 de Agosto: Dia Nacional de Combate ao Fumo

 

Consumo de cigarros aumentou durante a pandemia, mas é hora de acabar com esse vício.

 

Estudos apontam um aumento de até 34% entre os fumantes. Ansiedade, crise econômica e até isolamento social e aumento do consumo de álcool são apontados como as principais causas. O Brasil tem um dos melhores e mais premiados programas gratuitos de combate ao fumo. Conheça o Programa Nacional de Controle do Tabagismo.

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já chamou o aumento do consumo de cigarros no último ano de “a pandemia dentro da pandemia”. Afinal, desde os anos 1960 os cientistas já sabem quanto o cigarro é prejudicial à saúde. São inúmeras as doenças cardiovasculares e pulmonares associadas ao tabagismo, além de diversos tipos de câncer. E não é só isso: entre os fumantes há um risco de até 45% de desenvolver quadros graves de cCovid-19 que levam à intubação e à morte. 

 

A cada tragada cai o nível de oxigenação e aumenta o quadro inflamatório no organismo. O sistema imunológico também se enfraquece. O fumante pode ser a vítima perfeita para o novo coronavírus, por isso, os médicos não têm dúvidas: você precisa parar de fumar agora! 

 

A boa notícia é que o Brasil tem um dos programas mais reconhecidos e premiados em todo o mundo para isso. O Programa Nacional de Controle do Tabagismo é uma iniciativa do INCA e do Ministério da Saúde, totalmente gratuita. 

 

Dicas para parar de fumar

 

Na pesquisa da Fiocruz que revelou esse aumento, as pessoas indicaram muitos motivos para fumar mais na pandemia. Quase não dá para listar todos. Nas empresas, os fumantes precisavam deixar o trabalho para ir fumar e essa não era a atitude mais aplaudida para os funcionários, o que deixava os fumantes desconfortáveis. Em casa, o cinzeiro ganhou um lugar ao lado do computador, sem interrupções e olhares condenatórios. 

 

Além disso, em casa as pessoas também estão bebendo mais álcool.   Afinal, em home office você pode trabalhar de pijama ou acompanhado de uma dose de uísque ou cervejinha. Álcool e cerveja são uma combinação explosiva para saúde, no pior sentido. 

 

  1. Fumar não pode ser legal – a primeira dica, e talvez a mais importante, é que fumar não pode ser legal. Se você está decidido a parar de fumar, torne esse momento o mais desagradável possível. Nada de fumar ao lado do computador ou vendo TV. Perto da família, então, nem pensar. Não prejudique a saúde de quem você ama. 

 

  1. Comece devagar e faça mudanças na rotina – se você está acostumado a acender um cigarro para acompanhar o cafezinho ao acordar, tente fazer uma caminhada antes. Deixe o café para acompanhar a sobremesa da hora do almoço. A atividade física ajuda a combater a vontade de fumar. Identifique os momentos em que fumar é quase um gesto automático e faça mudanças nessa rotina. 

 

  1. Não desanime com as recaídas – todos estamos vivendo tempos difíceis, de muita angústia e incerteza. Não desanime se você fumar mais em um dia ou outro. O importante é não desistir. Especialistas dizem que um mês após parar de fumar você já vai ter uma grande melhora no quadro geral de saúde e também vai ficar mais fácil parar. Procure a ajuda do Programa Nacional de Controle do Tabagismo. Você receberá gratuitamente todo apoio, medicamentos e orientação médica e psicológica para vencer esse vício. 

 

Se você está sentindo algum sintoma como falta de ar, cansaço ou tosse insistente antes ou depois de fumar, é hora de uma consulta médica. O Hospital Presidente conta com um time de pneumologistas altamente capacitado para cuidar de você. É só agendar uma consulta com a Ana Paula no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Você também pode enviar um e-mail para [email protected].

 

Leia mais:

 

 

Palavras-chaves

 

  • Cigarro
  • Tabagismo
  • Dia Nacional de Combate ao Fumo
  • Pandemia
  • Covid-19
  • Programa Nacional de Controle do Tabagismo

 

Referências

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *