fbpx

Dia Mundial do Diabetes

Diabetes: fique atento ao nível de açúcar no seu sangue!

 

Celebrado em 14 de novembro, o Dia Mundial do Diabetes é um alerta para essa doença, caracterizada pelo aumento de glicose no sangue. Grave e silenciosa, ela afeta mais de 400 milhões de adultos no mundo e está crescendo o número de vítimas. Saiba mais sobre ela e como evitá-la neste texto.

 

Você, com certeza, já ouviu falar que hábitos alimentares ruins fazem mal para a saúde. Isso está correto. Comer doces e gorduras em excesso não é bom para ninguém. Além de obesidade e problemas cardíacos, esses dois costumes estão por trás de uma das doenças que mais afetam os brasileiros: o diabetes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil já é o quarto país do mundo no número de diabéticos, com 6,2% da população afetada

E esse número só cresce, em todo o mundo. O 9º Atlas do Diabetes, publicado pela International Diabetes Federation (IDF) com dados de 2020, mostra que existem 463 milhões de adultos com diabetes no mundo. A previsão é que a doença faça 578 milhões de vítimas em 2030 e 700 milhões em 2045. A boa notícia é que, com mudança de hábitos, é possível controlá-la.

Mas, afinal, o que é diabetes? 

Diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose (açúcar) no sangue e garante energia para o organismo.

A falta de cuidados com a saúde e um estilo de vida sedentário estão relacionados ao aumento de casos de diabetes, no mundo todo. A obesidade, que também está em alta entre adultos, é uma das causas do diabetes. Até mesmo o sobrepeso deve ser evitado, principalmente se a gordura estiver concentrada em volta da cintura. 

Outros fatores que podem levar ao aparecimento da doença são:

  • Histórico familiar; 
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo;
  • Pressão alta;
  • Consumo elevado de álcool;
  • Colesterol alto ou alterações na taxa de triglicérides no sangue;
  • Doenças renais crônicas.

 

O envelhecimento também está associado ao diabetes do tipo 2, aquele que surge com a idade. 

O importante é manter hábitos alimentares e um estilo de vida adequado e ficar sempre atento ao nível de glicose no sangue. Isso pode ser feito por meio de um teste simples: basta uma gota de sangue numa fita de teste. O aparelho pode ser facilmente adquirido nas farmácias, porém, esse teste só vale para o controle diário da glicose. Para ter o diagnóstico correto é preciso ir a um laboratório e fazer vários exames específicos

De olho nos sintomas

No início, o diabetes não costuma apresentar sintomas; , por isso, é considerada uma doença silenciosa. Com o tempo é possível perceber alguns sinais, indicando que a doença já está avançada. Assim, preste atenção a:   

  • Sede constante;
  • Fome frequente;
  • Vontade frequente de urinar; 
  • Emagrecimento repentino;
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Mudanças de humor;
  • Náuseas e vômitos.

 

Quais são os tipos de diabetes?

Existem dois tipos de diabetes: tipo 1, mais comum em crianças e jovens, responsável por 10% dos casos, e tipo 2, que aparece na vida adulta, em decorrência dos fatores já descritos.

Diabetes tipo 1: Acontece devido a uma reação autoimune, – o sistema imunológico passa a identificar e atacar as células produtoras de insulina do pâncreas. 

Como resultado, o corpo produz pouca ou nenhuma insulina, levando o paciente a utilizar insulina diariamente, para adequar o nível de glicose no sangue. 

Diabetes tipo 2: quase sempre está ligada à má alimentação e ao sedentarismo, sendo o tipo mais comum nos diabéticos. 

O pâncreas chega a produzir a insulina, mas o corpo não responde a ela, criando uma resistência. Uma vez que o hormônio não funciona adequadamente, os níveis de glicose no sangue continuam altos, provocando a liberação de mais insulina. Para ser considerado diabetes do tipo 2, o exame de sangue apresenta glicose acima de 125 mg/dl (miligramas por decilitro) com o paciente em jejum. 

Outros exames indicados para confirmação e controle do diabetes são os testes de tolerância oral e de hemoglobina glicada. No primeiro, a pessoa ingere 75 gramas de glicose diluída em água e, após duas horas, refaz o exame de sangue. Se estiver acima de 200 mg/dl, é diabetes. O teste de hemoglobina glicada conta o número de células vermelhas do sangue que estão ligadas a uma molécula de glicose, isto é, glicadas. A taxa de 7% de células glicadas indica diabetes. 

Pré-diabetes tem cura? 

Pré-diabetes é uma condição em que o nível de glicose já está alterado, mas ainda não preenche os critérios para o diabetes tipo 2. No exame de sangue, essa fase da doença é caracterizada com a glicose acima de 100 até 125 mg/dl, em jejum. Já no teste de tolerância oral, o nível varia entre 140 e 199 mg/dl de glicose. No teste de hemoglobina glicada, os valores para pré-diabetes encontram-se entre 5,7% e 6,4%. 

Importante ressaltar que o estado de pré-diabetes pode ser revertido somente com mudança de hábitos. Comer com qualidade, não fumar, evitar bebidas alcoólicas e fazer exercícios regularmente são grandes aliados e podem evitar que a doença se instale. 

Tenho diabetes, o que faço?

Calma! Diabetes é totalmente controlável e é possível ter uma vida normal. Basta conhecer e exercer os cuidados necessários. O primeiro passo é ter um acompanhamento médico com especialista. Ele vai orientar sobre a doença, fazer o monitoramento e indicar o remédio para ajudar a regular a taxa de glicose no sangue. 

Sua vida vai sofrer algumas mudanças, mas será para o seu bem. Você terá que mudar sua rotina, abandonar o sedentarismo, comer frutas, legumes e vegetais, abandonar o cigarro e as bebidas alcóoólicas. 

Seguindo todas essas dicas, você poderá ter uma vida normal e conviver com o diabetes sem grandes complicações. Caso contrário, ela pode favorecer problemas de visão, cardiovasculares, doença renal crônica e lesões neurológicas. Por isso, todo cuidado é pouco!

O Hospital Presidente possui especialistas que podem diagnosticar, tratar e orientar você a ter uma vida normal com o diabetes. Para agendar uma consulta é só ligar para a Ana Paula, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, você pode enviar um e-mail para [email protected].

 

Leia também: 

Diabetes: entenda o risco para a covid-19 

Diagnóstico de diabetes cresce 61,8% em dez anos; saiba como se prevenir 

 

Palavras-chaves: 

  • Diabetes 
  • Glicose
  • Pré-diabetes

 

Referências:

https://www.endocrino.org.br/numeros-do-diabetes-no-mundo/

https://www.controlaradiabetes.pt/controlo-da-diabetes/controlar-as-variacoes-da-glicemia

https://www.hospitaloswaldocruz.org.br/imprensa/noticias/conheca-os-principais-tipos-de-diabetes/

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/11/19/fui-diagnosticado-com-pre-diabetes-mudando-a-alimentacao-posso-reverter.htm?cmpid=

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/11/19/fui-diagnosticado-com-pre-diabetes-mudando-a-alimentacao-posso-reverter.htm

https://saude.abril.com.br/bem-estar/diabete-exames-de-rotina-e-diagnostico/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *