fbpx

Dezembro Laranja e o câncer de pele

Dezembro Laranja: Tomar Sol faz bem, mas sem exagero.

O excesso pode causar câncer de pele.

  

O início do verão coincide com o mês da campanha nacional de conscientização dos perigos da superexposição ao Sol. O câncer de pele está entre as doenças que têm origem no excesso da radiação solar ultravioleta incidindo diretamente sobre a epiderme.

Conheça os vários tipos de câncer de pele e aprenda a prevenir esse que é o tumor com maior incidência no país.

Conheça os vários tipos de câncer de pele e aprenda a prevenir esse que é o tumor com maior incidência no país.

 A campanha Dezembro Laranja foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) em 2014, com o objetivo de estimular iniciativas de conscientização sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de pele.

O mês foi escolhido por ser um dos mais quentes do ano. No verão, a incidência dos raios é quase perpendicular à superfície da Terra, deixando a energia mais concentrada. A radiação solar aumenta o risco de queimaduras, câncer da pele e outros problemas. Saber prevenir os efeitos nocivos da radiação é o primeiro passo para aproveitar bem os dias ensolarados.

Pele, esse importante órgão humano

Embora muitos estranhem, a pele é o maior órgão humano. Ela é composta por duas camadas: a epiderme (parte externa) e a derme (parte interna). São diversas as suas funções. Cabe à pele regular a temperatura do corpo, além de ser uma proteção natural contra agentes externos, como a luz do sol, agentes infecciosos e agentes químicos (raios-x e radioterapia, por exemplo).

O câncer de pele acontece pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem esse importante órgão humano. Essas células se dispõem formando camadas, e dependendo de qual for afetada, são definidos os diferentes tipos de câncer.

Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Juntos, eles respondem por 177 mil novos casos da doença por ano, no Brasil. O melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele.  A boa notícia é que ele é mais raro que os carcinomas: registra 8,4 mil casos anualmente, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

 

Tipos de câncer de pele e seus sintomas

Conhecer os tipos de câncer e seus sintomas é o primeiro passo para a prevenção. Veja aqui os principais tumores que atacam a pele:

Carcinoma basocelular (CBC) – é o mais predominante. Surge nas células basais que se encontram na camada mais profunda da epiderme. Sua letalidade é baixa e pode ser curado caso seja detectado precocemente. Surge com mais frequência em regiões mais expostas ao Sol, como rosto, pescoço, orelhas, couro cabeludo, ombros e costas.  Aparece como manchas na pele do tipo que descamam, coçam, ardem ou sangram. Atenção também com aquela ferida que nunca cicatriza. Pode ser o princípio de um carcinoma.

Carcinoma espinocelular (CEC) – é o segundo tipo mais prevalente. Manifesta-se nas células escamosas, que constituem a maior parte das camadas superiores da pele. Também ocorre nas áreas mais expostas ao Sol, como o CBC. Pode ser notado, pois, nessas regiões, a pele apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade.  Pode aparecer ainda na forma de um machucado ou uma ferida, dessas que não cicatrizam e sangram ocasionalmente; às vezes, é similar à aparência de uma verruga.  O CEC corresponde a cerca de 20% de todos os cânceres de pele. É altamente curável e mortes causadas por ele são incomuns, ocorrendo entre idosos e pessoas com sistema imunológico enfraquecido.

Melanoma – é o menos frequente, porém o que possui o índice mais alto de mortalidade. Apesar disso, seu diagnóstico não precisa ser acompanhado de apreensão. Com a detecção precoce, as chances de cura são de mais de 90%. Na maioria das vezes, aparece como uma pinta ou um sinal na pele em tons castanhos ou negros. Esse “sinal” pode mudar de cor, formato ou tamanho, além de causar sangramento. Procurar ajuda médica assim que identificar esses sinais é muito importante.

Como prevenir?

A prevenção está na base da vida saudável. Tomando cuidados, é possível evitar a maioria das doenças, e com o câncer de pele não é diferente. Veja aqui como aproveitar os benefícios do Sol sem colocar em risco a saúde da pele.

  • Evite tomar sol entre 10h e 16h. Nesse período, os raios ultravioletas atingem mais fortemente a Terra
  • Nunca se esqueça do protetor solar adequado para o tom da sua pele.
  • Procure usar sempre chapéu, boné e roupas de proteção
  • Cuidado com o bronzeamento artificial. Em excesso, ele pode ser perigoso, por conta dos raios ultravioletas
  • Observe regulamente a própria pele, sempre procurando por pintas, manchas ou feridas novas, ou aquelas que apresentam alguma modificação
  • Procure imediatamente um especialista ao notar sinais diferentes, principalmente se você tem a pele muito clara, que fica vermelha com facilidade

 

Não se desespere, todos os tipos de câncer de pele têm tratamento!

O câncer de pele é uma doença séria, mas não é preciso desespero. Com o diagnóstico precoce e o tratamento orientado por um especialista, as chances de cura são muito altas. Conheça aqui os principais procedimentos para eliminar o tumor:

Tratamentos mais comuns para os carcinomas:

  • Cirurgia excisional – Com um bisturi, ocorre a remoção do tumor. Os tecidos removidos são examinados para ter a certeza se foram extraídas todas as células cancerosas.
  • Curetagem e eletrodissecção – Técnica usada para tumores menos invasivos. É lesão é raspada com uma cureta, enquanto um bisturi elétrico destrói as células cancerígenas.
  • Criocirurgia – É utilizado nitrogênio líquido para destruir o tumor por meio de congelamento. Este tipo de tratamento pode ser uma boa opção em casos de tumores pequenos ou recorrentes, não sendo indicado para tumores mais invasivos.
  • Cirurgia a laser – O médico utiliza o laser para remover as células tumorais. Sem sangramentos, é uma opção para quem tem desordem sanguínea.
  • Cirurgia micrográfica de Mohs – É retirado o tumor e um pedaço de pele ao redor com uma cureta. É uma técnica indicada para tumores em áreas críticas, principalmente do rosto, pois deixa uma cicatriz menor do que em outras cirurgias.

O tratamento para o melanoma depende de fatores como extensão do tumor, agressividade, localização, idade e estado geral do paciente. As duas cirurgias mais utilizadas são a excisional e a de Mohs.  Em alguns casos pode ser necessário adotar quimioterapia, radioterapia e/ou a imunoterapia.

Em qualquer situação, é muito importante detectar e começar o tratamento o quanto antes.

Além de cuidar da pele, não se esqueça de realizar um check-up anual! O Hospital Presidente oferece mais de 20 especialidades ambulatoriais, com um moderno Centro de Diagnósticos, onde é possível realizar todos os exames. Para agendar uma consulta, é só ligar para a Ana Paula, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, você pode enviar um e-mail para agendamento@hospitalpresidente.com.br.

 

Leia também:

Dezembro laranja: câncer de pele x protetor solar

Câncer de pele: prevenção e diagnóstico precoce

 

Palavras-chave

– Câncer de pele

– Dezembro Laranja

– Carcinoma

– Melanoma

– Tumor

 

Referências:

https://bvsms.saude.gov.br/dezembro-laranja-campanha-reforca-cuidados-contra-o-cancer-de-pele/

https://www.sbd.org.br/dezembroLaranja

https://super.abril.com.br/ciencia/estacoes-do-ano-nada-tem-a-ver-com-distancia-entre-o-sol-e-a-terra/

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/cuidados/cuidados-com-a-pele-no-verao/

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/centro-oncologia/carcinoma-espinocelular/Paginas/diagnosticos.aspx

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *