fbpx

Síndrome de Burnout: Não deixe o trabalho acabar com a sua vida

Síndrome de Burnout: Não deixe o trabalho acabar com a sua vida

Excesso de responsabilidades profissionais pode levar a mente ao limite. Aprenda a reconhecer os sinais de esgotamento e se antecipe à síndrome da exaustão extrema relacionada ao trabalho

 

Muitas vezes você já deve ter dito que está trabalhando demais, que a pressão no ambiente corporativo está muito forte e parece que a sua cabeça vai explodir. Saiba que você não está sozinho. A ISMA (International Stress Management Association) avalia que 30% dos brasileiros sofrem da síndrome de burnout, distúrbio caracterizado pelo esgotamento mental relacionado ao trabalho. 

Neste texto, você vai aprender a reconhecer os sinais e se antecipar ao agravamento da crise, que pode levar à depressão, aumento da ansiedade e a problemas físicos, como a gastrite.  

 

O que é a síndrome de burnout

Definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2019 como um fenômeno ocupacional, a síndrome de burnout é um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema relacionada às atividades profissionais. É provocada pelo acúmulo de estresse, tensão emocional e excesso de trabalho. É mais comum em profissionais que atuam sob constante pressão, como médicos e professores, e em ambientes altamente competitivos, como publicitários e jornalistas. Mas pode acometer qualquer profissão. 

A pessoa sente o aumento da pressão emocional misturada à ansiedade e ao nervosismo. Em estágios avançados, pode levar à depressão profunda e até mesmo à total paralisação diante das questões de trabalho. Por isso, é importante ficar atento aos primeiros sinais e procurar um especialista (pode ser o clínico geral ou psiquiatra), que irá solicitar um check-up para a definição correta do diagnóstico. 

 

Sintomas da síndrome de burnout

Existem diversos sintomas que levam a desconfiar da síndrome de burnout. O mais perceptível é a sensação de esgotamento físico e emocional. Conheça os demais: 

  • Insônia
  • Dificuldade de concentração 
  • Falta de apetite
  • Irritabilidade fácil 
  • Lapsos de memória
  • Baixa autoestima 
  • Desânimo e apatia, sensação de fracasso
  • Dores de cabeça e no corpo 
  • Problemas gastrointestinais
  • Pensamento sempre negativo
  • Desejo de se isolar de todo mundo

 

Como é o tratamento da síndrome de burnout

Após a consulta e a realização de exames clínicos, uma vez confirmado o diagnóstico, o tratamento é feito com o uso de medicamentos antidepressivos e psicoterapia. Realizar atividades físicas e exercícios de relaxamento, como a ioga, também são recomendados. A meditação também é um ótimo auxiliar terapêutico.

É importante evitar o impulso de uma saída fácil, como o consumo de álcool ou aumento do tabagismo

Veja aqui algumas dicas para o tratamento da doença:

  • Entenda a sua relação com o trabalho. Você se sente mal durante o dia, não tem vontade de ir trabalhar, sente-se estressado e sem tempo para nada? Cuidado! Perceba quando você já está esgotado e sua única rotina é trabalhar. 
  • Mantenha os amigos e familiares por perto. Escute sempre a opinião deles e não se afaste. Geralmente, quem tem a síndrome demora a perceber que seu estado geral está alterado e as pessoas mais próximas funcionam como alertas. 
  • Descanse até seu corpo recuperar. Procure dormir as 8 horas recomendadas toda noite 
  • Não hesite em procurar ajuda médica. Quanto antes começar o tratamento, mais rápido você vai melhorar o seu estado geral.

 

Pandemia acelera a síndrome entre profissionais de saúde  

A pandemia destruiu muitas vidas, muitas famílias, e pegou de jeito quem está na linha de frente. Estudo realizado pela PEBMED (portal de saúde) no final de 2020 revelou que 78% dos profissionais de saúde tiveram sinais de síndrome de burnout durante a pandemia. Destes, 79% eram médicos, 74% enfermeiros e 64% técnicos de enfermagem. 

Além da pressão natural com a qual convivem os profissionais de saúde, a pandemia exigiu muitas horas extras de trabalho diário, em uma rotina de intensa vulnerabilidade emocional. Afora a vida dos pacientes sob sua responsabilidade, a própria saúde destes profissionais estava em risco, potencializando as situações de estresse. 

O Hospital Presidente oferece mais de 20 especialidades ambulatoriais para consulta e um Centro de Diagnósticos moderno e completo para a realização de check-up. Assim, ao identificar um quadro sugestivo da síndrome de burnout, não deixe para depois. Para agendar uma consulta, basta ligar para a Ana Paula, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, você pode enviar um e-mail para agendamento@hospitalpresidente.com.br

 

Leia também:

Abril verde: O trabalho mudou, mas os acidentes e doenças ocupacionais continuam 

Meditar faz bem!

 

Palavras-chave

– Síndrome de burnout

– Trabalho em excesso

– Depressão 

– Esgotamento físico e mental 

 

Referências: 

https://pebmed.com.br/prevalencia-de-burnout-e-maior-em-medicos-que-atuam-na-linha-de-frente-da-covid-19/

https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental/sindrome-de-burnout#:~:text=S%C3%ADndrome%20de%20Burnout%20ou%20S%C3%ADndrome,justamente%20o%20excesso%20de%20trabalho.

https://www.paho.org/pt/noticias/28-5-2019-cid-burnout-e-um-fenomeno-ocupacional

https://www.danonenutricia.com.br/adultos/bem-estar/sindrome-de-burnout–sintomas–diagnostico-tratamento

https://www.anamt.org.br/portal/2018/12/12/30-dos-trabalhadores-brasileiros-sofrem-com-a-sindrome-de-burnout/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *