fbpx

Porque é tão importante dormir bem

Porque é tão importante dormir bem

Saiba como o sono influencia o seu rendimento no dia seguinte e conheça pequenos truques que ajudam a dormir melhor

 

A frase “essa noite não dormi bem” é ouvida com muita frequência, e precisa ser levada a sério. Ter um boa noite de sono tem relação direta com a disposição no dia seguinte, influenciando todas as atividades cotidianas: trabalho, estudo, as ações em casa. Tudo pode ser melhor ou pior, mais fácil ou mais difícil, dependendo da qualidade do sono na noite anterior.

É durante o sono que o organismo exerce as principais funções restauradoras do corpo, como o reparo dos tecidos, o crescimento muscular e a síntese de proteínas. Enquanto dormimos nosso corpo consegue regular o metabolismo e repor as energias perdidas no dia que passou, fatores essenciais para manter o corpo e a mente saudáveis.

O que é o sono?

Em 2011, o pesquisador norte-americano William Charles Dement, considerado o “Pai da Medicina do Sono”, definiu o sono como um “estado fisiológico e comportamental reversível, caracterizado pela diminuição da atividade motora, fechamento dos olhos e aumento do limiar de resposta ao meio, com alternância de fases ao longo da noite”.

Esse estado é coordenado pela melatonina, um hormônio produzido pela glândula pineal, que fica bem no meio do cérebro. Essa glândula é a chave do relógio interno, que nos faz dormir e acordar em ciclos de 24 horas.

O número ideal de horas para dormir varia de pessoa a pessoa, mas os especialistas consideram bom o sono sem interrupções, dependendo da fase da vida, na seguinte quantidade:

  • Adultos: 7 a 9 horas
  • Adolescentes: 8 a 10 horas
  • Crianças: 9 a 13 horas
  • Bebês: 12 a 16 horas

Para se ter um boa noite de sono é recomendado criar e manter uma rotina com hábitos saudáveis. Entre eles estão:

  • Ir para a cama sempre no mesmo horário
  • Evitar dormir muito tarde
  • Deixar o quarto escuro, sem televisão e sem celular
  • Praticar exercícios físicos regularmente
  • Alimentar-se bem, evitando comer até 2 horas antes de ir dormir

 

As fases do sono

Dormir muitas horas não significa dormir bem. O importante é o corpo conseguir relaxar e completar o ciclo de todas as fases do sono. Os especialistas classificam o sono em 2 fases distintas: REM (Movimentos Oculares Rápidos) e NREM (Sem Movimentos Oculares Rápidos). Esses ciclos se alternam durante a noite e passam por estágios.

O sono NREM representa aproximadamente 75% do sono. É considerado o mais tranquilo fisiologicamente, com baixa frequência cardíaca e respiratória. O sono REM corresponde aos 25% restantes. Nele, a frequência cardíaca e respiratória, assim como a pressão arterial e o fluxo sanguíneo cerebral ficam mais elevados.

Os especialistas classificam ainda 5 estágios de evolução do sono. São eles:

  • Fase 1 – A pessoa ainda está adormecendo, é o momento que o cérebro está trabalhando menos, o corpo relaxa e a respiração começa a ficar lenta.
  • Fase 2 – Começa o sono leve, a temperatura do corpo cai e os batimentos cardíacos diminuem.
  • Fase 3 – As ondas cerebrais já estão em ritmo lento e a pessoa entra em sono profundo.
  • Fase 4 – Começa o processo de renovação celular. O organismo libera os hormônios de crescimento, os tecidos se recuperam e o corpo está repondo a energia que foi gasta, para que a pessoa consiga acordar disposta e descansada.
  • Fase 5 – O cérebro funciona com maior rapidez e mantém apenas as informações importantes do dia.

 

Doenças relacionadas ao sono

A explicação para noites mal dormidas pode estar em doenças típicas do sono. As mais conhecidas são:

Ronco

É uma das doenças do sono mais comuns e acomete tanto homens como mulheres. É causado pelo estreitamento das vias aéreas durante o sono, e pode ser potencializado por conta da flacidez e/ou relaxamento dos músculos da garganta que, somados à posição em que o indivíduo dorme, deixam o som ainda mais alto e intenso. Existem vários acessórios que prometem diminuir o ronco, como o dispositivo CPAP, cinta-faixa, até máscara, dilatadores nasais e tratamentos caseiros, que utilizam ervas aromáticas. Mas só o tratamento médico com especialista em Medicina de Sono pode, realmente, resolver o problema.

Apneia do sono

Enquanto dormimos, é normal deixarmos de respirar por alguns segundos. Isso acontece sem a pessoa perceber e não causa dano algum ao organismo.

O problema ocorre quando essas paradas respiratórias se tornam frequentes e mais prolongadas. Nesse caso, é necessário realizar exames para identificar se a pessoa sofre da chamada Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS). Essa síndrome é caracterizada pelo fechamento parcial ou total das vias aéreas superiores, que leva à falta de oxigenação no cérebro e, na sua forma mais grave, pode ser fatal.

Narcolepsia

É uma condição neurológica crônica em que a pessoa sente uma sonolência em excesso durante o dia, chegando a adormecer em várias situações, mesmo após ter dormido bem durante a noite. A narcolepsia faz com que a pessoa entre diretamente no sono profundo, pulando todas as outras fases, o que a torna potencialmente perigosa. Existem casos de pessoas que dormem em pé, no ônibus, dirigindo o carro, na escola, entre outras situações.

Ainda não foi descoberta a causa da narcolepsia, mas estudos apontam como possíveis causadores um desequilíbrio nas substâncias químicas do cérebro, predisposição genética e baixa produção de hipocretina, substância responsável por nos manter acordados durante o dia.

O tratamento é feito com medicamentos para atenuar os sintomas, além de mudanças de hábito. O paciente é aconselhado a organizar sua vida para dormir um pouco durante o dia, tentando “consertar” o sono. É importante ressaltar que a narcolepsia não é uma doença grave, mas pode pôr em risco a vida das pessoas que dirigem carros ou operam máquinas. Assim, é importante evitar essas atividades, assim como não ingerir bebidas alcoólicas ou outras substâncias que induzem o sono, pois só ajudam a piorar o quadro.

Bruxismo

Outra doença relacionada ao sono muito conhecida é o bruxismo. Ele se caracteriza pelo ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes de forma constante e excessiva, enquanto dorme.

Essa pressão sobre os dentes gera tensão nos músculos responsáveis pela mastigação, levando a sintomas como dor nas articulações da mandíbula ou dor de cabeça ao acordar. Com o tempo, a intensidade da pressão causa desgaste ou até mesmo a quebra de pedaços dos dentes.

O tratamento consiste no uso de uma placa de proteção dos dentes durante a noite. Em alguns casos específicos pode-se utilizar relaxantes musculares. Claro que o tratamento varia de pessoa a pessoa, por isso é importante sempre buscar a orientação de um dentista.

 

Como ter uma boa noite de sono?

Algumas atitudes simples podem ajudar a ter um sono bom e, assim, aproveitar o dia seguinte com muita disposição. Acompanhe:

  • Deixe o quarto em silêncio e escuro, durma onde você se sentir confortável e seu corpo conseguir relaxar.
  • Antes de se deitar, procure relaxar um pouco. Não chegue do trabalho e vá direto para a cama, espere pelo menos 2 horas até o corpo diminuir a adrenalina.
  • Evite substâncias estimulantes, como café, canela, pimentas e doces, que despertam os sentidos e podem prejudicar o sono.
  • Evite exercícios intensos muito próximo da hora de dormir, e ficar conectado ao celular.
  • Ioga, alongamento e meditação ajudam a relaxar e induzem ao sono.
  • Acostume seu corpo a dormir e acordar sempre na mesma hora.

 

Se você tem dificuldades com o sono, procure ajuda médica. Ele fará exames específicos para a confirmação do diagnóstico e irá prescrever o tratamento correto.

Para as demais doenças, conte com o Hospital Presidente. Além de Pronto Atendimento 24 horas, você pode agendar consultas em mais de 20 especialidades ambulatoriais e realizar exames em um moderno e completo Centro de Diagnósticos. Caso queira agendar uma consulta, é só ligar para a Ana Paula, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, pode enviar um e-mail para [email protected]

 

Leia também:

Quando o sono fica doente, quem sofre é o corpo

Qualidade do sono: fundamental para uma vida saudável

 

Palavras-chave

– Doenças do sono

– Ronco

– Apneia

– Narcoplepsia

– Bruxismo

 

Referências:

https://www.tuasaude.com/10-dicas-para-dormir-bem/

https://www.tuasaude.com/bruxismo/

https://www.clinicadosono.com.br/noticias/23-teste-o-seu-sono

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/narcolepsia/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *