fbpx

25 de maio: Dia Internacional da Tireoide

 

A data foi idealizada pela Federação Internacional da Tireoide devido à importância dessa glândula para o bom funcionamento do organismo. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) realiza a Semana Internacional de Conscientização da Tireoide, de 25 a 29 de maio, para alertar sobre as várias doenças da tireoide e como reconhece-las, estimulando o tratamento precoce.

 

O que é a tireoide e qual a sua função?

A tireoide é uma glândula localizada na região do pescoço, na frente dos anéis da traqueia, em formato de borboleta, que consiste em um istmo central com dois lobos, um de cada lado. Pesa entre 15 e 25 gramas, está fixada à laringe por meio de um tecido conjuntivo e se movimenta em decorrência do processo de deglutição.

Essa glândula pode ser acometida por diversas doenças, em qualquer momento da vida, da infância à velhice, tanto em homens como em mulheres. Ela é responsável por produzir os hormônios tireoidianos, a tri-iodotironina (T3) e o tiroxina (T4). Cabe a esses hormônios regular o metabolismo, que é o conjunto de reações essenciais para assegurar os processos bioquímicos do organismo, da formação fetal até a senilidade.

Os hormônios T3 e T4 são responsáveis pelo controle dos batimentos cardíacos, movimentos intestinais, ciclos menstruais e a capacidade de concentração. Além disso, também controlam a respiração celular e o armazenamento e utilização de iodo e cálcio no organismo.

A quantidade de hormônios T3 e T4 produzidos pela tireoide é regulada pela hipófise, uma glândula situada no cérebro que fabrica o hormônio TSH, que é responsável pela estimulação da tireoide.

 

Hipertireoidismo

Quando a tireoide produz mais hormônios do que o organismo precisa, ocorre o hipertireoidismo, condição que acelera o metabolismo e tudo funciona rápido demais. Os principais sintomas são aumento da frequência cardíaca, taquicardia, sudorese abundante, perda de peso, tremores, insônia, nervosismo e olhos saltados.

O diagnóstico é realizado por meio de exame de sangue para descobrir o nível dos hormônios TSH, T3 e T4. Hormônio TSH baixo e alto nível dos hormônios T3 e T4 indicam o hipertireoidismo. O tratamento é feito com medicação, iodo radioativo e cirurgia, dependendo das características da doença.

 

Hipotireoidismo

No hipotireoidismo ocorre exatamente o contrário: há baixa ou nenhuma produção de hormônios, ocasionando a desaceleração do metabolismo e tudo funciona lentamente.

Os principais sintomas são diminuição da frequência cardíaca, diminuição do apetite, prisão de ventre, reflexos vagarosos, diminuição da libido e sonolência. O tratamento é feito basicamente com a reposição do hormônio T4, que deve ser administrado por via oral, por toda a vida.

O diagnóstico também é realizado com exame de sangue, para conhecer a quantidade dos hormônios TSH, T3 e T4. Níveis elevados de TSH e baixos níveis dos hormônios T3 e T4 caracterizam o hipotireoidismo.

O hipotireoidismo congênito é uma doença hereditária que impossibilita o organismo de produzir o hormônio T4, condição essa que impede o desenvolvimento do recém-nascido. O diagnóstico é feito pelo teste do pezinho e o tratamento é à base de reposição hormonal. Sem diagnóstico e tratamento adequado, o hipotireoidismo congênito provoca retardo do desenvolvimento mental.

 

Tireoidite

A tireoidite é a inflamação da tireoide. Essa doença pode se apresentar de diversas formas, dependendo da sua evolução. Em alguns casos, o paciente sente dores, mas em outros, apresenta os sintomas de hipertireoidismo ou hipotireoidismo, de maneira alternada.

O diagnóstico é realizado pelo exame clínico e com exame de sangue para investigar a quantidade de hormônios TSH, T3 e T4 no organismo. O tratamento é feito com reposição hormonal, que varia de acordo com o grau de deficiência dos hormônios em questão.

 

Tireoidite de Hashimoto

A tireoidite de Hashimoto, também chamada de tireoidite crônica, é uma doença autoimune, em que o organismo fabrica anticorpos que atacam as células da tireoide, provocando uma inflamação.

Inicialmente, a inflamação induz a tireoide a produzir excesso de hormônios, caracterizando o hipertireoidismo. Com o passar do tempo, impede a produção de hormônios suficientes, resultando no hipotireoidismo.

Por isso, normalmente, a doença se manifesta quando o hipotireoidismo já está instalado. Os sintomas, o diagnóstico e o tratamento são os mesmos do hipotireoidismo.

 

Bócio

O bócio, popularmente conhecido como papo, é o crescimento anormal da tireoide, que resulta em aumento de tamanho ou surgimento de nódulos na região do pescoço.

As causas podem ser carência de iodo, hipertireoidismo, hipotireoidismo, tumores, entres outras. O diagnóstico é clínico e o tratamento é feito com medicação e, em algumas situações, com cirurgia.

 

Doença de Graves

A Doença de Graves, também chamada de Doença de Basedow-Graves, é uma condição autoimune, que provoca uma espécie de hipertireoidismo; além das manifestações comuns do hipertireoidismo, a Doença de Graves apresenta irritação nas pálpebras e nos olhos.

O diagnóstico é o mesmo do hipertireoidismo e o tratamento é feito com medicação, iodo radioativo, cirurgia para remoção da tireoide e reposição hormonal.

 

Câncer de tireoide

O câncer de tireoide é um tipo raro de câncer, que inicialmente pode ser assintomático e, posteriormente, pode ser caracterizar pelo aparecimento de nódulos na região do pescoço. Em estágios avançados, podem ocorrer aumento de gânglios linfáticos, tosse persistente, rouquidão e dificuldade para engolir.

O diagnóstico é feito pelo exame clínico de apalpação da tireoide, exames de imagem (ultrassonografia, ressonância magnética e cintilografia) e biópsia para identificar a presença de células tumorais malignas.

O tratamento, realizado de acordo como o tipo de tumor e estágio da doença, varia entre quimioterapia, radioterapia, cirurgia de retirada do tumor, terapia com iodo radioativo, terapia antiangiogênica (inibe o crescimento de novos vasos sanguíneos) e reposição hormonal.

 Se você estiver com algum desconforto na região do pescoço ou com algum sintoma de doença na tireoide, o Hospital Presidente conta com um Pronto Atendimento (PA), que funciona 24h por dia e 7 dias por semana.

O Hospital Presidente oferece ainda uma equipe de médicos para consultas em mais de 20 especialidades, além de um completo e moderno centro de exames, proporcionando conforto e comodidade aos pacientes.

Caso prefira agendar uma consulta, basta ligar para a Ariana, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, envie um e-mail para agendamento@hospitalpresidente.com.br

 

Palavras-chave

Tireóide

Hipertireoidismo

Hipotireoidismo

Câncer de tireoide

 

Leia também

https://www.hospitalpresidente.com.br/2019/01/17/check-up-medico/

https://www.hospitalpresidente.com.br/2020/01/24/cirurgia-de-cabeca-e-pescoco-quando-esta-especialidade-e-fundamental-para-restabelecer-a-saude/

https://www.hospitalpresidente.com.br/2018/02/02/combate-ao-cancer-informacao-e-fundamental/

 

Referências

https://www.gov.br/ebserh/pt-br/comunicacao/noticias/entenda-o-que-e-a-tireoide-e-a-importancia-de-ficar-atento-com-seu-funcionamento-adequado

 https://bvsms.saude.gov.br/25-5-dia-internacional-da-tireoide-e-semana-internacional-de-conscientizacao-da-tireoide/#:~:text=Boletins%20Tem%C3%A1ticos-,25%2F5%20%E2%80%93%20Dia%20Internacional%20da%20Tireoide%20e%20Semana,Internacional%20de%20Conscientiza%C3%A7%C3%A3o%20da%20Tireoide

https://www.tireoide.org.br/semana-internacional-da-tireoide-2020/

https://www.rededorsaoluiz.com.br/doencas/doenca-de-graves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *