fbpx

Junho Vermelho e Laranja: campanhas mostram a importância da doação e da saúde do sangue para o tratamento da anemia e leucemia

 

A doação de sangue é essencial para a manutenção da saúde em casos de doenças ou cirurgias, porque não existem medicamentos que substituam e/ou estimulem a produção das células sanguíneas

 

Junho Vermelho é uma campanha de conscientização, criada pelo Ministério da Saúde, que visa a incentivar a doação de sangue, já que não existem medicamentos que substituam e/ou estimulem a produção das células sanguíneas.

Junho Laranja busca informar sobre a anemia e a leucemia, doenças provocadas por deficiências no sistema sanguíneo. A campanha visa a conscientizar sobre a saúde do sangue, evitando doenças que podem ser prevenidas.

 

Junho Vermelho: conscientização para a doação de sangue

 Criada pelo Ministério da Saúde em 2015, a campanha Junho Vermelho tem o objetivo de conscientizar a população para a importância de doar sangue.

A campanha acontece em junho porque o clima frio e seco do outono/inverno e o aumento das doenças respiratórias nesse período provocam a diminuição das doações e, consequentemente, dos estoques dos bancos de sangue dos hemocentros.

Uma única doação de sangue pode salvar até quatro vidas. A transfusão de sangue é essencial para indivíduos que realizam cirurgias, transplantes, tratamento contra doenças crônicas graves, entre outros casos. Assim, nunca é demais reforçar a importância de ser um doador de sangue.

 

Quem pode doar sangue?

O requisito para ser um doador de sangue é estar em bom estado de saúde e atender a determinados critérios, como ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50 quilos.  Pessoas com febre, gripe ou resfriado, diarreia recente, grávidas e mulheres no pós-parto não podem doar sangue temporariamente. O Ministério da Saúde criou uma página com todos os critérios e impedimentos para esse gesto tão nobre de doar sangue. Para saber quais são, basta clicar aqui.

 

14 de Junho: Dia Mundial do Doador de Sangue

Em 2005, a Assembleia Mundial da Saúde, órgão da Organização Mundial da Saúde (OMS), instituiu o dia 14 de junho como o Dia Mundial do Doador De Sangue.

A data foi escolhida em homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, médico imunologista austríaco que classificou os grupos sanguíneos pelo sistema ABO (tipos de sangue humano) e descobriu o fator Rh. Em 1930, ele recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em reconhecimento por essas conquistas.

 

Junho Laranja: conscientização sobre anemia e leucemia

Junho Laranja é uma campanha de conscientização sobre anemia e leucemia, doenças que são provocadas por deficiências no sistema sanguíneo. A campanha visa levar informação e prevenção sobre a saúde do sangue para a população, ajudando a prevenir essas condições.

 

Anemia

A anemia se caracteriza pela deficiência na concentração no sangue dos glóbulos vermelhos, também chamados de hemácias. O sangue, esse precioso líquido que circula pelo organismo, é composto por plasma, hemácias, leucócitos e plaquetas, levando oxigênio e nutrientes para todos os órgãos. O plasma é a parte líquida do sangue; tem coloração amarelo palha e é composto por água (90%), proteínas e sais.

A anemia pode estar relacionada a fatores genéticos ou doenças adquiridas. Pode se apresentar na forma aguda ou crônica e é classificada de acordo com o volume corpuscular médio (VCM) ou pelo tamanho das hemácias.

Na anemia aguda, o principal sintoma é a queda da pressão arterial. Já na anemia crônica, os sintomas são palidez cutânea e nas mucosas, cansaço, fraqueza, dores musculares, sonolência, falta de memória, tontura, falta de ar, respiração curta, palpitação e taquicardia.

O diagnóstico é feito com o hemograma, um exame laboratorial de sangue. O tratamento da anemia é determinado pela doença de base que provocou a falta de produção ou a destruição das hemácias.

 

Leucemia

A leucemia designa um conjunto de tumores malignos que atingem os glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, provocando a sua proliferação descontrolada, o que compromete o sistema imunológico.

Na leucemia, os leucócitos doentes reduzem o espaço na medula óssea para a produção das outras células sanguíneas. Outra consequência da leucemia é quando os leucócitos não se desenvolvem por completo e caem na corrente sanguínea de forma imatura. Esse desequilíbrio pode predispor o organismo a desenvolver anemia, infecções, hemorragias, entre outras doenças.

A leucemia pode ser aguda, quando as células malignas se encontram em uma fase muito imatura e se multiplicam rapidamente, causando uma enfermidade agressiva. Pode também ser crônica, quando a transformação maligna ocorre em células-tronco mais maduras, de maneira mais lenta.

A leucemia pode ser classificada como leucemia linfoide (afeta as células linfoides, um tipo de glóbulo branco), sendo mais frequente em crianças, e leucemia mieloide (afeta as células mieloides, que incluem vários dos leucócitos do sangue) sendo mais comum em adultos.

A leucemia aguda apresenta sintomas como anemia, fraqueza, cansaço, sangramentos nas narinas e nas gengivas, manchas roxas e vermelhas na pele, gânglios inchados, febre, sudorese noturna, infecções virais e bacterianas e dores no corpo e nas articulações. Já a leucemia crônica, de evolução lenta, pode ser completamente assintomática.

O diagnóstico é realizado primeiramente com o hemograma. Em um segundo momento, o mielograma realiza a análise direta do local afetado para identificar o tipo de célula anormal que impede a fabricação dos outros elementos do sangue. A biópsia da medula óssea é o exame definitivo para a confirmação do diagnóstico.

O tratamento é realizado em duas fases. A primeira fase utiliza a quimioterapia para eliminar as células doentes, denominadas blastos, que são muito sensíveis a esse procedimento. Na segunda fase, são introduzidas as estratégias de consolidação para combater possíveis focos residuais da doença.

Além da quimioterapia, podem ser utilizadas transfusões de sangue como complemento – por isso, entre outras razões, a doação de sangue é tão importante! Nos últimos anos, a terapia-alvo, que utiliza medicamentos específicos para combater as células doentes, tem-se mostrado eficaz para alguns tipos de leucemia, como a leucemia mieloide crônica.

A radioterapia é outro procedimento utilizado pelos médicos no tratamento da leucemia. Pacientes que não respondem satisfatoriamente a esse esquema terapêutico podem realizar o transplante de medula óssea.

 

Onde doar sangue

A Fundação Pró-Sangue é o orgão oficial do Governo do Estado de São Paulo para a doação de sangue. Ela possui seis postos de coleta localizados em São Paulo, Guarulhos, Osasco e Barueri. Todas as bolsas de sangue coletadas nesses locais são direcionadas para a central, localizada no Hospital das Clínicas de São Paulo, onde são fracionadas e ficam aguardando liberação para serem distribuídas aos hospitais da rede pública estadual e demais instituições abastecidas pela Pró-Sangue.

A doação pode ser feita com toda a segurança e comodidade, em horário agendado. Para saber mais sobre como doar sangue em São Paulo, acesse aqui.

Se você estiver com algum sintoma de anemia ou leucemia, não perca tempo. Essas doenças podem ser graves e comprometer o bom funcionamento de todos os demais órgãos.

O Hospital Presidente possui um Pronto Atendimento (PA), que funciona 24h por dia e 7 dias por semana. Conta ainda com uma equipe de médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem capazes de auxiliar em todos os procedimentos, além de um completo e moderno centro de exames, para proporcionar conforto e comodidade aos pacientes.

Caso prefira agendar uma consulta, basta ligar para Ariana, no telefone (11) 2261-6611, ramal 1085. Se preferir, envie um e-mail para agendamento@hospitalpresidente.com.br

 

Palavras-chave

 Anemia

Leucemia

Doador de sangue

Junho Vermelho

Junho Laranja

 

Leia também

https://www.hospitalpresidente.com.br/2021/02/11/fevereiro-laranja-doar-a-medula-ossea-ajuda-a-salvar-vitimas-de-leucemia/

https://www.hospitalpresidente.com.br/2020/11/16/novembro-dourado-campanha-alerta-para-o-cancer-infantojuvenil/

https://www.hospitalpresidente.com.br/2020/02/13/oncologia-um-especialista-contra-mais-de-100-doencas/

 

Referências

https://bvsms.saude.gov.br/14-6-dia-mundial-do-doador-de-sangue-2/

https://www.ifb.edu.br/reitori/27160-junho-vermelho-conheca-a-campanha-de-mobilizacao-para-doacao-de-sangue#:~:text=Por%20isso%2C%20no%20m%C3%AAs%20de,Mundial%20do%20Doador%20de%20Sangue

https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2022/marco/uma-unica-doacao-de-sangue-pode-salvar-ate-quatro-vidas#:~:text=Uma%20%C3%BAnica%20doa%C3%A7%C3%A3o%20de%20sangue,quatro%20vidas%20%E2%80%94%20Portugu%C3%AAs%20(Brasil)

 

http://www.prosangue.sp.gov.br/doacao/enderecos.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *